Você sabia que uma hora de narguilé equivale a 100 cigarros?

- Atualizado às 18:27
Por - Redação Barulho
(Foto: Divulgação/Governo de São Paulo)

Criado em 1986, o Dia Nacional de Combate ao Fumo estabeleceu a próxima quinta-feira (29) como a data anual para conscientização sobre o tema. Neste ano, um dos principais motes da campanha é chamar a atenção dos jovens sobre o uso do narguilé. Conforme aponta Guilherme Stelko Pereira, oncologista do COP (Centro de Oncologia do Paraná), o ato parece inofensivo, mas é um mal silencioso: 1h de narguilé vale pelo equivalente a fumar 100 cigarros.

“Trata-se de um número chancelado pela OMS (Organização Mundial de Saúde)”, diz o especialista. “Uma sessão de narguilé, com duração entre 20 e 80 minutos, pode corresponder à exposição aos componentes tóxicos presentes na fumaça de 100 a 200 cigarros. Mais que isso: o uso compartilhado do narguilé com outros usuários pode expor o fumante a riscos de doenças como herpes, hepatites virais e tuberculose”.

Este é um importante alerta: em 2008, a Pesquisa Especial sobre Tabagismo (Petab) mostrou que o Brasil tinha, há mais de 10 anos, quase 300 mil consumidores do cachimbo de origem oriental. Hoje, estima-se que o número só tenha crescido.

Apesar de Stelko ressaltar que o índice de tumores contraídos a partir do cigarro tenha diminuído, os números divulgados pelo Inca (Instituto Nacional do Câncer) para o biênio 2018/2019 ainda são alarmantes: estima-se que, só no Brasil, 1,2 milhão de novos casos de câncer de pulmão surjam no período.

Além do pulmão
Para as ações de 2019, o Inca escolheu o “Tabaco e saúde pulmonar – o uso do narguilé” a fim de advertir a população brasileira sobre os riscos de doenças pulmonares oriundas do consumo de tabaco e de seus produtos derivados, incluindo o narguilé. Porém, há outros tumores – além do câncer de pulmão – que são decorrentes do tabagismo, seja ele ativo ou passivo (viver próximo a fumantes).

“O câncer de bexiga – que não é comumente lembrado – é muito relacionado ao tabagismo”, afirma Stelko. “Outros tumores – como o câncer na região da boca e o de esôfago – tiveram seus índices reduzidos, uma vez que o tabagismo, em nível mundial, tem diminuído. Mas as campanhas têm sido essenciais para isso”.
Considerado a principal causa de morte evitável pela OMS, o tabagismo é responsável pelo desenvolvimento de aproximadamente 50 doenças: 4,9 milhões pessoas – ou mais de 10 mil por dia – morrem todos os anos em decorrência do cigarro, que contém cerca de 4.720 substâncias tóxicas, das quais pelo menos 70 são cancerígenas.

“Falamos até aqui apenas de tumores, mas existem inúmeras doenças relacionadas ao tabagismo: úlcera do aparelho digestivo, osteoporose, catarata, impotência sexual... falando apenas de Brasil, cerca de 157 mil pessoas morram precocemente devido ao cigarro”, lamenta Stelko.

Sobre o COP
Desde 1991, o Centro de Oncologia do Paraná (COP/PR) se dedica ao tratamento do câncer, priorizando um atendimento exclusivo, sempre atualizado e com ênfase no relacionamento médico-paciente. Conta com um corpo clínico qualificado, com profissionais especializados na área de cancerologia, incluindo cirurgia oncológica, vídeo-cirurgia, oncologia clínica, mastologia, oncologia pediátrica, e oncologia ginecológica. Possui uma equipe multidisciplinar com especialistas em dermatologia, ginecologia, mastologia, urologia, hematologia, farmacêuticos, nutricionistas e psicóloga.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba