UFPR: matrículas dos cursos de graduação no período especial começam no sábado

Por - Barulho Curitiba
(Foto: Franklin de Freitas)

Começam neste sábado (4), ao meio-dia, e seguem até 17h de quarta-feira as matrículas para o primeiro ciclo do período especial, regulamentado pela Resolução 59/20-CEPE, que prevê o desenvolvimento de atividades de ensino nos cursos de educação superior, profissional e tecnológica da UFPR, no contexto das medidas de enfrentamento da pandemia de covid-19. O procedimento deverá ser feito via SIGA e no Portal do Aluno. O tema foi amplamente debatido desde a suspensão do calendário acadêmico, em março, e a vigência do período não implica em riscos à saúde de nenhum membro da comunidade universitária.

No período especial na modalidade de ensino remoto emergencial (ERE), os acadêmicos poderão cursar disciplinas previamente aprovadas pelo colegiado do curso, mas a matrícula nessas disciplinas não é obrigatória. Matrículas efetuadas em 2020/1, durante o período regular, estão preservadas, independentemente das ofertas dos departamentos ou das escolhas dos estudantes durante o período especial.

Este será o primeiro ciclo do período especial (veja os prazos dos outros dois no gráfico), com o início das atividades didáticas previsto para ocorrer entre os dias 13 a 24 de julho. Os estudantes que quiserem acessar o ERE poderão se matricular num número limitado de disciplinas obrigatórias, determinados pelas suas cargas horárias, e num número ilimitado de disciplinas optativas, mas é preciso também observar a carga horária máxima semestral para a matrícula determinada para cada curso. Este limite é de, no máximo, 180h para os cursos de 15 semanas, 216h para os cursos de 18 semanas, 240h para os cursos de 20 semanas e 360h para os cursos anuais e para Medicina do Campus Toledo.

O pró-reitor de Graduação, Eduardo Barra, reitera que não se trata da conversão dos cursos ou das disciplinas em ensino à distância (EaD), mas na abertura de uma possibilidade para se usar as tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) para desenvolver ações de ensino-aprendizagem no período de suspensão de atividades presenciais. “Esse formato de ensino será um desafio para todos nós, professores, técnicos e estudantes. Teremos que fazer grandes ajustes nos nossos projetos pedagógicos”, afirma texto assinado pela equipe da Pro-reitoria de de Graduação e Educação Profissional.

A UFPR também se organizou para lidar com outros desafios do ensino em tempos de pandemia a partir de uma série de ações. A Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE) tem ações de inclusão digital e apoio psicológico aos acadêmicos. A Superintendência de Inclusão, Políticas Afirmativas e Diversidade (SIPAD) acompanha os estudantes quilombolas, indígenas e migrantes refugiados, além das pessoas com deficiência e com transtornos globais de desenvolvimento.

Já o sistema de bibliotecas fornece orientações para acesso a base de dados e bibliografia. A Prograd oferece, ainda, assistência aos docentes e o acompanhamento das unidades administrativas, além de ser responsável pela plataforma UFPR Virtual e pelo Programa Emergencial de Monitoria Digital.  

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba