UFPR alcança nota máxima no Índice Geral de Cursos do Inep

- Atualizado às 01:27
Por - Redação Barulho Curitiba

 

A Universidade Federal do Paraná ingressou no restrito grupo de instituições de ensino superior brasileiras que alcançaram conceito máximo (5) no Índice Geral de Cursos (IGC), o indicador mais abrangente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), cujos números referentes a 2017 foram divulgados nesta terça-feira (18). Das 2.066 instituições avaliadas que obtiveram algum conceito, apenas 34 (ou 1,6%) conseguiram o máximo — a UFPR é a única universidade do Paraná na lista. O IGC avalia a graduação e a pós-graduação oferecidas pelas instituições públicas e privadas de ensino superior (IES) no Brasil inteiro.

 

 

O cálculo do IGC ocorre pelo enquadramento da nota geral (IGC Contínuo) em faixas que equivalem a conceitos (de 1 a 5). Instituições que alcançam conceito 5 são as que têm nota igual ou acima de 395, por exemplo. Considerando o IGC Contínuo para a formulação de rankings, a UFPR aparece na 11ª posição entre as universidades federais com melhores notas e na 13ª entre as universidades públicas.

 

 

Melhora global

 

Trata-se do melhor desempenho da UFPR no IGC desde a criação do índice, em 2007. Nos últimos dez anos, a universidade vinha mantendo o conceito 4 — conseguido por menos de 20% das instituições no último levantamento e válido para notas entre 295 e 394. Ainda assim, as notas gerais da universidade vêm aumentando ano a ano desde 2012. O salto dos últimos cinco anos foi da nota geral 353 para a 395, que garante o maior conceito.

 

O IGC é calculado por meio de indicadores do próprio Inep (para a graduação) e da avaliação da pós-graduação pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para a pós-graduação. Entre 2014 e 2017, a UFPR melhorou todos os anos os principais conceitos médios que compõem as três áreas do IGC: Graduação (de 3 para 3,12); Mestrado (de 4,6 para 4,71); e Doutorado (de 4,8 para 4,88).

 

 

Graduação

 

 

Em relação à graduação, um dos principais indicadores considerados para fazer o IGC é o Conceito Preliminar de Cursos (CPC), do Inep, voltado à avaliação da qualidade dos cursos. O CPC se baseia nos resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e do questionário de percepção que os graduandos que prestam o Enade respondem, além de outros dados, como o valor agregado pelos cursos para o desenvolvimento do estudante (que compara o nível de conhecimento do aluno que ingressa e o do que se forma no curso); e o perfil do corpo docente (regime de trabalho e titulação), que consta no Censo Superior.

 

 

Os números do CPC 2017 também foram divulgados no dia 18. Segundo eles, no último triênio do CPC, conseguiram nota máxima nove dos 93 cursos da UFPR avaliados. A maior parcela (55) teve nota 4 e, o restante (27), nota 3.

 

Stricto sensu

 

Divulgada em setembro de 2017, a última avaliação da Capes, por sua vez, também trouxe desempenho inédito à UFPR. Três programas de pós-graduação obtiveram nota máxima (7), considerada de excelência internacional: o de Engenharia de Bioprocessamento e Biotecnologia, o de Bioquímica e o de Química. A nota era inédita no Estado.

 

Dos 74 programas avaliados, 35 melhoraram a nota em relação à avaliação anterior, lançada em 2013. Com isso, segundo os dados atualizados pela Capes em dezembro de 2017, a UFPR registrou sete programas com nota 6; 27 com nota 5; 26 com nota 4; 11 com nota 3; e nenhum com nota 1 ou 2.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba