Suspensão de bolsas afeta 127 destinadas a novos alunos da UFPR

- Atualizado às 18:19
Por - Redação Barulho Curitiba
(Foto: Marcos Solivan/UFPR)

Nesta terça-feira (8), a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi comunicada que 127 bolsas de estudo ofertadas aos seus estudantes pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) foram suspensas. A ação não atinge alunos que já estão cursando mestrado, doutorado e pós-doutorado e recebem o auxílio, mas apenas aquelas bolsas que estão vacantes no momento por ainda não terem sido atribuídas a outro estudante.

O Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Francisco de Assis Mendonça, explica que algumas bolsas ficam um período de um a três meses sem atribuição devido à troca de beneficiário. “São aquelas que eram destinadas a alunos que finalizaram seus cursos. Portanto, esse recurso deve ser repassado a um novo estudante que há pouco ingressou ou vai ingressar no programa. Destaco que as bolsas que já estão implantadas na universidade não foram suspensas”.

Mendonça afirma que a UFPR, juntamente a todos os pró-reitores da área de pesquisa e pós-graduação e às entidades brasileiras ligadas à pesquisa, estão desenvolvendo uma ação de devolução dessas bolsas junto a Capes. “A demanda de bolsas é muito maior do que o número que foi suspenso. A ciência brasileira necessita desse apoio financeiro para que, por meio dos estudantes, seja desenvolvida”.

Durante essa semana, cerca de 200 pró-reitores de pesquisa e pós-graduação de toda a região sul do País se reuniram em Florianópolis para debater e elaborar um documento, enviado à Capes, contra a suspensão de recursos, dada a necessidade da ciência brasileira. Encontros similares estão acontecendo em todas as regiões do País. “As universidades estão atuando em conjunto e também aliadas à Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) para demandar a devolução imediata dessas bolsas”, salienta o pró-reitor da UFPR.

Na prática, temporariamente, não existe a disponibilidade de bolsas em mesma quantidade de alunos demandantes e que recém ingressaram na instituição. A orientação da PRPPG é que aqueles estudantes que se matricularam nos cursos com a intenção de pleitear o auxílio não desistam dos estudos, pois a UFPR está trabalhando arduamente para que, além da devolução dessas bolsas suspensas, novas bolsas sejam destinadas à instituição.

“Entre 2018 e 2019 tivemos dez novos cursos aprovados entre mestrado e doutorado para os quais imaginávamos ter bolsas disponíveis. Ante a esse corte, não podemos garanti-las já que ainda não haviam sido atribuídas e por isso foram suspensas. A universidade tem, historicamente, aumentado o número de alunos e, portanto, também precisa aumentar o número de bolsas. São lutas paralelas que se somam para que possamos atender todos os pleiteantes e para que eles sejam capazes de desenvolver, da melhor forma possível, sua formação”, finaliza Mendonça.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba