Quarentena underground, playlist de Ivan Santos passeia pelo rock independente do Brasil e de Curitiba

- Atualizado às 16:56
Por - Barulho Curitiba
(Foto: Divulgação)

Ivan Santos, jornalista, compositor e músico diletante, criador e produtor, ao lado de Adriane Perin, do festival Rock De Inverno e do selo De Inverno Records é o décimo quinto colaborador das playlists do Barulho Curitiba pra a quarentena.  "Escolhi ‘Quarentena Underground’ como tema para essa playlist porque essa trilha feita por artistas que atuam abaixo da superfície do que se convencionou chamar de ‘mainstream’ faz parte da minha memória afetiva e história de vida. São artistas e grupos de Curitiba e do Brasil que fazem da música um meio de expressão, acima de qualquer preocupação com modismos ou mercado. A música como estratégia de sobrevivência e sublimação. Que dialoga com seu tempo em diferentes estilos, ritmos e abordagens, sem se prender ao óbvio, diz ele.

Ivan Santos não só fez a playlist como comentou faixa a faixa para alegria dos leitores e ouvintes:

- La Carne é uma banda de Osasco (SP). “Diógenes de Oz” é uma faixa do disco “Volume 5”, de 2016. Pós-punk, poesia urbana, urgência. “Prepara-se pra enfrentar tempos difíceis, baby”, avisa o vocalista e letrista Marcos Linari. “Qual a diferença entre a cura e a doença?”, pergunta ele.

-Lestics é uma banda de São Paulo (SP). “Tudo é memória” é uma faixa de “Aos abutres”, quarto disco do grupo. “Ele dorme e acorda cansado/de esperar pelos dias de glória/ele não quer viver do passado/mas esquece que tudo é memória”.

-Igor Amatuzzi é um artista de Curitiba. Tocou nas bandas Tod´s, OAEOZ, ESS, Íris, Humanish, entre muitas outras. “Vôo de trem” é um single de seu trabalho solo com a participação de Conde Baltazar (voz) e Fabiano Ferrorato (bateria) e letra de Jansen Nunes.

- Pão de Hamburguer é uma banda de Curitiba em que cabe desde a psicodelia do Pink Floyd, passando pela música caipira e o rock contemporâneo do Artic Monkeys. “A cidade” é uma faixa do novíssimo EP “Visconde de Guarapuava – Lado B”, lançado em plena quarentena.

- Escambau é uma das mais prolíficas bandas curitibanas da atualidade. Aqui a psicodelia rima com guarânia, Roberto Carlos com 13th Floor Elevators. “Viagem astral com Júpiter Maça” escancara a influência do bardo mutante dos pampas e também foi recém-lançada em plena quarentena.

- Beto Só é de Brasília e faz canções pop perfeitas, melancólicas e sublimes. “Medo da vida” é uma faixa do disco “Ferro velho de boas intenções”, de 2011.

- De Salvador (BA), Cascadura é uma banda de rock classudo e clássico. “Soteropolitana” é uma bela balada rock do disco duplo “Aleluia”, de 2012.

-Pipodélica é uma banda de Florianópolis, Santa Catarina. Faixa lançada no clássico álbum “Simetria Radial”, que saiu pelo selo Baratos Afins, em 2003. Power pop e art rock.

- De São Paulo, Hurtmold é um dos maiores expoentes brasileiros do chamado “pós-rock’. Rock instrumental, pós-hardcore, minimalismo progressivo. “Fontanka” é do disco “Cozido”, de 2003.

- Cantora paulistana que em 1992, Stela Campos participou do projeto de um disco só Funziona Senza Vapore, formado por ex-integrantes da banda Fellini, cuja faixa “Domingo” foi gravada por Chico Science & Nação Zumbi no disco “Afrociberdelia”, de 1996. “Isabela” é uma balada do disco “Fim de semana”, de 2002.

- Sonic Jr é a banda de um homem só do alagoano Juninho Duarte. “Acelerou bateu” é de seu primeiro disco, homônimo, de 2001. Música eletrônica brasileira pra pular e pensar.  

- Outro grupo de Alagoas, o Mopho também trilha no caminho do rock clássico. “A geladeira” é uma faixa de seu primeiro disco, autointitulado, lançado pela Baratos Afins em 2000.

- Blanched, do Rio Grande do Sul, é um grupo de pós-rock minimalista. “Hoje eu to melhor” é uma faixa do disco “Blanched toca Angelopoulos”, de 2004.

- Charme Chulo é uma banda de Curitiba que já foi descrita como uma mistura de rock inglês com música caipira. “Galo de Maringá” é uma homenagem à cidade natal do vocalista Igor Filus e seu primo, o guitarrista e violeiro Leandro Delmonico.

- Mordida, também de Curitiba, é um grupo liderado pelo compositor Paulo de Nadal. “Dia comum” é uma deliciosa faixa de seu primeiro e único disco cheio, “Mordida 1”, de 2009, com influências de new wave, Beatles, Roberto Carlos e rock gaúcho.

- Loxoscelle, também de Curitiba, faz hard-rock-folk pesado, com toques de Led Zeppelin e classic rock. “A Day-dream” é a faixa-título do disco de 2003.

Com 30 anos de estrada, a Relespública é uma das mais longevas formações do rock curitibano, ainda na ativa, liderada pelo incansável Fábio Elias. “Marcianos” é uma balada do disco “As histórias são iguais”, de 2003.

- Apeles é o “grupo de um homem só” de Eduardo Praça, de São Paulo, que integrou bandas como “Quarto Negro”. “A Alegria dos Dias Dorme no Calor dos Teus Braços” é uma faixa de “Crux”, álbum de 2019, que combina guitarras afiadas, baixo e bateria dançantes, a um som perfeito para pistas e para viajar.

- Os The Darma Lóvers é uma banda do Rio Grande do Sul com letras inspiradas no budismo, criadora do chamado “zen rock”, com um som calcado no folk e na psicodelia, liderada pelo vocalista e compositor Nenung. “Gigante” é uma faixa de seu quarto álbum, de 2009, “Simplesmente”.

- Uma das mais importantes bandas paranaenses de todos os tempos, o Beijo AA Força começou nos anos 80 e foi uma das pioneiras de sua geração na mistura de punk rock com música brasileira. ”It's Yets” é uma faixa do clássico álbum "Música Ligeira nos Países Baixos, de 1992. A letra é uma versão de Marcos Prado e Thadeu Wojciechowski para poema de William Butler Yeats.

- Os Misantropos é uma banda de Curitiba liderada pelo bardo Cláudio Pimentel, que nos anos 90 encabeçou outro grupo importante da cidade, a Plêiade, combinando com maestria folk, rock inglês e poesia. “Canção úmida” é uma bela balada do disco “Sem apreço”, de 2019.

- Lupe de Lupe é uma banda de Belo Horizonte filiada à estética lo-fi. “Gaúcha” é uma belíssima balada de “Quarup”, disco de 2014. Pra quem gosta de shoegazer e Yo La Tengo.

Outras playlists para quarentena

De Cowboy Junkies a Sonny Clark: a playlist do DJ e músico Branco para a quarentena

Paulo Biscaia Filho apresenta playlist com 'rock de monstro' para a quarentena

Playlist de Sergio Medeiros para a quarentena é uma deliciosa 'paella' musical

Playlist do Tusquinha tem curitibanos na Austrália, Boldrin, Bardot, Xuxa com Chico e Jane sem Herondy

Biscoito fino de soul e jazz na playlist para quarentena do escritor e músico Luis Pellanda

Playlist de Vlad Urban para a quarentena tem de folk russo a gipsy punk dos EUA

Rodrigo Browne apresenta uma playlist de 'sambas jocosos' para a quarentena

Playlist do reitor da UFPR para a quarentena tem MPB, rock clássico e música italiana

Playlist de Giovanni Caruso para quarentena aposta em 'nepotismo' inspirador e até Billie Eilish

Playlist de Sandro Moser para quarentena traz seleção caótica de gêneros e tempos em três línguas

Playlist de Claudia Silvano traz nova MPB, muito João Bosco, Aldir Blanc e Elton John

Margot Brasil capricha com três playlists para a quarentena: rock, dançante e zen

Jornalista Marcos Anubis faz uma playlist pesada, mas nem tanto assim. Confira

De 'Mamma Mia' a 'Evidências': playlist de Tony Reis é para cantar e dançar

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba