Projeto #CrieEmCasa já destinou mais de R$ 30 mil a artistas curitibanos. Saiba como participar

Por - Barulho Curitiiba
(Foto: Carol Bassani)

Teatros vazios, bares fechados. Os profissionais de arte estão passando por uma fase delicada desde o início do isolamento social. Entre eles estão os músicos, profissionais que dependem quase exclusivamente do público para se manter. Mas o projeto #CrieEmCasa, em andamento há três meses pelo Vale da Música, tem sido uma alternativa para aliviar um pouco a situação desses profissionais. Com a suspensão temporária do festival permanente do Vale da Música na Ópera de Arame, a equipe do projeto resolveu propor um modelo inusitado e que, desde que começou a ser colocado em prática, já destinou mais de R$ 30 mil em cachês para músicos da cidade.

A ideia é simples: músicos enviam vídeos de apresentações instrumentais, que passam por uma curadoria e, uma vez aprovados, são postados nas redes sociais do Parque das Pedreiras (complexo que abriga a Ópera de Arame) e remunerados. Do início até agora, já foram postados cerca de 300 vídeos de músicos diferentes e, por dia, de três a cinco apresentações estão disponíveis para o público que acompanha o Instagram do Parque das Pedreiras. O projeto #CrieEmCasa já recebeu desde o início de sua ativação mais de 500 inscrições, e a curadoria e seleção são feitas pela equipe técnica do Vale da Música.

“Das inscrições feitas, cerca de 20% são de músicos que não participam do Vale da Música. Abrimos as inscrições para outros instrumentistas justamente para auxiliar toda a rede de profissionais independentes que estão em situação de emergência e ainda possibilitar que tenhamos contato com novos talentos, que podem vir a tocar no Palco Flutuante da Ópera quando retomarmos o projeto”, afirma Gabriella Camargo, gerente de marketing do Vale da Música.

Para os músicos, o projeto é uma alternativa segura e que ainda assim movimenta o cenário cultural da cidade, trazendo oportunidade de criação e de se manterem conectados com o público mesmo durante o período de isolamento. “O #CrieEmCasa se estabelece como apoio financeiro do músico instrumental, alento em tempos de crise e falta de perspectivas de trabalho, trazendo de forma genuína e desmistificada o processo criativo musical, valorizando as ideias e a performance musical do cotidiano”, afirma o músico Filipe Castro, que já participou do projeto.

Como funciona

O músico que tiver interesse em participar deve fazer um vídeo criado dentro de casa. Solos, composições autorais, covers, brincadeiras com o instrumento, ideias criativas e diferentes - o céu é o limite. O vídeo precisa ser gravado em modo vertical do celular, com mínimo de 1 minuto e máximo de 10 minutos e enviado via WeTransfer para o e-mail curadoriavale@futurafonte.com.br, junto com seu nome artístico e um breve e criativo descritivo e histórico do artista.

O material é analisado pelo núcleo curador do projeto e, uma vez aprovado e publicado, o artista é remunerado de acordo com a quantidade de integrantes. O valor por vídeo é de R$ 100/músico.

Sobre o Vale da Música

Com apresentação do Bradesco e realização da Futura Fonte em parceria com a DC Set Eventos, Curitiba ganhou em setembro de 2018 o Vale da Música, um projeto ímpar no país que mudou o cotidiano da Ópera de Arame. Entre os pontos turísticos mais visitados da cidade, o espaço recebeu benfeitorias e revitalizações constantes para o melhor atendimento ao público. O projeto implantou apresentações de música e cultura diariamente em um palco flutuante e móvel no meio do lago da Ópera de Arame.

Sobre o Bradesco Cultura

Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. Diante da pandemia da covid-19, muitas instituições e espaços culturais apoiados pelo banco lançaram ações para que o público possa continuar se entretendo – ainda que virtualmente. Além do #CrieEmCasa, outro exemplo é o “Música em Casa”, do Mozarteum Brasileiro, que disponibiliza em seu canal no YouTube grandes momentos de sua programação de São Paulo e do tradicional festival Música em Trancoso. O Teatro Bradesco também lançou lives em seu Instagram com uma agenda diversificada de apresentações. Na área de exposições culturais, a Pinacoteca de São Paulo promove uma série de ações com o projeto #pinadecasa nos perfis do museu, além de tour virtual ao seu acervo. No MASP, seguidores podem acompanhar lives no Instagram com conversas entre curadores do museu e convidados. Já o MASP Áudios, aplicativo gratuito disponível para download, que também conta com patrocínio do Bradesco, reúne cerca de 170 comentários feitos por curadores, artistas, professores, pesquisadores e crianças sobre as obras mais icônicas do acervo.

Sobre o Parque das Pedreiras

Em agosto de 2012, a empresa DC Set Eventos ganhou a concessão dos espaços culturais Ópera de Arame e Pedreira Paulo Leminski, juntos denominados como Parque das Pedreiras. Durante 2012 e 2014, o complexo passou por um processo de revitalização em sua infraestrutura. O Parque das Pedreiras abriu suas portas em 2014 e desde então desenvolveu e sediou inúmeros concertos e festivais nacionais e internacionais em seus espaços. Concluídas as fases de revitalização do espaço e inserção de Curitiba no roteiro das principais turnês, o Vale da Música representou um novo e relevante passo para a operação do Parque das Pedreiras: criar uma constante programação durante o dia que contribua para a difusão acessível da cultura na sociedade.

Sobre a Futura Fonte

Proponente do Vale da Música, a Futura Fonte é especializada em iniciativas que fazem da cultura um instrumento de formação e valorização do indivíduo. O grupo realiza eventos e também atou na promoção de ações de responsabilidade social conectadas à música, como a associação com a ONG internacional Playing For Change. No Parque das Pedreiras é um dos parceiros da DC Set Eventos na realização de eventos culturais no complexo.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba