Publicitário de Curitiba faz sucesso com macarrão e comunicação ‘politicamente incorreta’

- Atualizado às 14:54
Por - Rodolfo Luis Kowalski
Fernando Zolet: empreendimento nasceu da insatisfação gastronômica
Fernando Zolet: empreendimento nasceu da insatisfação gastronômica (Foto: Franklin de Freitas)

Já imaginou um estabelecimento que, carinhosamente, chama seus clientes de “arrombados”, cujo dono desafia os consumidores para partidas de videogame e a participar episódios ‘vergonha alheia’ em troca de comida de graça e que, nas redes sociais, ainda pede por ódio dos internautas nos comentários? Tudo muito louco, realmente. Mas foi essa loucura autêntica e bem humorada que ajudou a Macarrão Curitiba a virar um verdadeiro sucesso não só no mundo virtual, mas também fora dele, tanto que a empresa está prestes a se tornar o primeiro drive thru de massas da capital paranaense e, quiçá, do Brasil.

Fundada em julho de 2019 pelos publicitários Fernando Soffiatti Zolet e Larissa de Geus, a Macarrão Curitiba começou como um sonho distante há uns cinco anos. Naquela época, Fernando saía tarde do trabalho e tinha dificuldade para encontrar opções gastronômicas para além de cachorro quente ou hambúrguer. Não à toa, no Facebook a seção "Sobre" da página da empresa é bem sucinta e direta: "Porque ninguém aguenta mais hamburgueria artesanal nessa cidade."

“O que realmente fez ter a ideia é que a gente ficava puto com várias coisas. Eu saía tarde do trabalho, de noite, e não tinha nada para comer. Isso foi me emputecendo, só tinha hambúrguer ou cachorro quente. Foram cinco anos que parece que só inaugurava hamburgueria na cidade, nada diferente. Cadê a criatividade?", recorda Fernando. "Queria que tivesse um tipo de comida diferente e que fosse rápido e prático, igual hamburgão, cachorro quente, mas que fosse uma comida mais caseira, com gosto mais decente. Aí vi que o macarrão se enquadrava perfeitamente".

Nos anos seguintes, o desafio foi conseguir padronizar as receitas, com molhos rápidos de preparar e com receitas simples, além de descobrir qual a embalagem ideal, que deveria manter o produto quente e não o deixar empelotar. Ultrapassado o desafio gastronômico, era hora de colocar a operação em pé. E no início era o próprio Fernando, a Larissa e as mães dos dois que trabalhavam na cozinha, montada de forma improvisada em um salão de festas alugado. Hoje, já são sete funcionários fixos e mais alguns temporários, que trabalham por taxa quando necessário.

"Pegamos tudo usado. Minha tia tinha uma geladeira que não usava e nós pegamos. O fogão era da minha vó. Só tive de comprar uns banho maria, para manter os molhos quentes. Só gastei dinheiro nisso, o resto foi doação. Gastei uns R$ 5 mil, talvez um pouco mais, e já pagamos toda a reforma, repintamos algumas coisas e ainda deu para comprar a leva inicial de ingredientes."

Uma nova forma de se comunicar e a coisa começa a ficar séria

No princípio, a comunicação da Macarrão Curitiba não era tão ousada, ao mesmo tempo agressiva e bem humorada, como é hoje. Embora o primeiro post da empresa já tenha sido criticando as hamburguerias, Fernando afirma que tinha medo de ser agressivo demais e acabar ofendendo alguém. Em agosto de 2019, a página da empresa tinha cerca de 200 seguidores. Foi quando ele fez um post sincero, falando sobre comida desgourmetizada e afirmando que não iria "cobrar 30 reais numa batata frita porque meu ambiente é rústico" e que não cobraria "8 reais num refrigerante" porque o "cardápio é estilosos" e que também não cobraria "mais porque tem um cara tocando violão enquanto você come".

Com a postagem vieram as críticas, é claro, mas também uma enorme repercussão, o que acabou trazendo novos clientes e chamando a atenção para a novidade curitibana. “Bombou de forma inacreditável, pegou dois mil likes em duas horas. Bombou o movimento na loja e comecei a ganhar seguidor para caramba. Daí depois desse post veio o estalo na cabeça e comecei a falar o que pensava”, diz Fernando, que afirma ainda ter descoberto a fórmula da polêmica perfeita. “Eu aprendi a fórmula da polêmica perfeita, que é a seguinte: metade das pessoas atacando e metade defendendo. É a polêmica que alavanca para cima, entendeu?”

Desafios inusitados e uma ação generosa 

Nas redes sociais, a página da Macarrão Curitiba já é conhecida por seus desafios inusitados. Clientes são convidados a jogar Rocket League, um inusitado jogo de futebol com carros, contra o proprietário da empresa. Se vencerem, ganham macarrão. Em outras ações, os internautas são desafiados a postar foto com uma laranja inteira na boca, a exibirem suas lustrosas carecas ou ainda a fazerem um texto explicando qual o seu lado político e ainda fazer um elogio ao lado político oposto.

Em maio do ano passado, porém, Fernando resolveu levar o ineditismo e o inusitado a outro patamar, fazendo, nas palavras deles, "alguma coisa útil com a página". Foi quando ele patrocinou um post no qual recomendava aos seus clientes que conhecessem a Galeteria Caxias, empresa que ele próprio frequentava desde criança e que vinha sofrendo por conta dos impactos da pandemia e das medidas de restrição de circulação de pessoas. "[O restaurante] Faz meu macarrão parecer um pote de bosta e merecia muito mais sucesso do que eu", escreveu na publicação.

"Eu vou nesse restaurante desde os 5 anos de idade. Eu amo lá e vi que eles estava mal das pernas. Aí cheguei, tirei foto dos pratos e na saída só falei pro dono, na hora de pagar a conta, que iria divulgar. Ele achou que eu estava brincando, não deu muita bola. No dia seguinte postei e explodiu, choveu cliente para eles. Tiveram até de pôr senha e ficou assim umas duas semanas. Depois disso viramos amigos, comecei a conversar, pedir dica sobre cozinha, como lidar com os funcionários", conta Fernando.

Primeiro drive-thru de massas do país vai sair do papel 

Em breve, a Macarrão Curitiba, para usar o termo da moda, atingirá 'um outro patamar'. É que no final do ano passado a empresa conseguiu um empréstimo para construir a sua própria loja, que deve sair do papel nos próximos meses. Segundo Fernando, será o primeiro drive-thru de massas de Curitiba e, talvez, de todo o Brasil.

"Assim que estiver com a primeira loja bem estruturada, estabilizada, vou abrir para franquias. Muita gente já está pedindo e estou mandando esperarem. Vou ter uma loja modelo primeiro, ver se funciona, e daí vou criar alguns modelos de franquia", conta o publicitário e empresário, que com a nova loja deve ainda trazer novas receitas para os clientes. "Faz tempo que quero isso, mas a cozinha hoje é tão pequena e improvisada que não consigo colocar uma geladeira a mais, porque senão a luz cai."

Para experimentar os sabores da Macarrão Curitiba, é possível fazer pedido pelo iFood ou pelo WhatsApp (41) 99758-1139. Por enquanto, contudo, nem todos os bairros de Curitiba são atendidos. Ainda assim, é possível mandar uma mensagem para eles e retirar o pedido direto na cozinha. O preço do pote de macarrão é R$ 18, já incluso o valor da entrega para alguns bairros.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba