PEITA lança “Não Existe Luta Sozinha” e une parceiras e mulheres da comunidade do Parolin

- Atualizado às 19:06
Por - Redação Barulho Curitiba, com assessoria
(Foto: Divulgação)

A PEITA celebra seus dois anos de enfrentamento com o lançamento da frase “Não Existe Luta Sozinha”. A festa de aniversário será sábado, 23, em um evento fechado no Veg Veg - Empório Vegano. Dentro da programação está a exibição do vídeo “Existe Luta Sozinha?”, com depoimentos de mulheres diversas do Brasil, seguido de uma roda de conversa sobre o tema e fechando os trabalhos, a projeção do “Não Existe Luta Sozinha: o doc”, produzido por estudantes do curso de Publicidade e Propaganda, da Universidade Positivo, que conta a trajetória da marca-protesto. A partir de sábado, a camiseta poderá ser adquirida na loja virtual.

Entre as convidadas da festa estão manas que trabalham direta e indiretamente com a PEITA, parceiras, movimentos sociais e convidadas da embaixadora, Andréia de Lima, encabeçadora do Usina de Ideias, associação que realiza ações e atividades sociais e culturais para crianças, jovens, adultas e idosas da comunidade do Parolin. “Durante a festa teremos um bate-papo sobre feminismos e lutas. É muito importante ter ao nosso lado as mulheres do Parolin. O bairro passou por inúmeras enchentes no último mês, muitas delas perderam tudo e o que têm, dividem entre si. Se tem pessoas que podem falar sobre segurar a mão e não soltar, são elas. Como diz a Andréia: ‘favela resiste’”, ressalta a fundadora da PEITA, Karina Gallon.

Seguindo seu compromisso em firmar parcerias que levantem outras mulheres, a cada 50 camisetas vendidas no site da marca-protesto, o lucro de 10 camisetas será destinado a uma instituição social da escolha dos estudantes que criaram a frase. Das 29 frases lançadas, 70% são parcerias com instituições e movimentos sociais, mulheres na militância e empresas comprometidas com o combate da opressão. Nestes casos, o lucro ou produção é doada.

“Há 2 anos fomos para rua no 8 de março com a primeira LUTE COMO UMA GAROTA. A gente nem nome tinha, mas já sabia o que queria. A mensagem tem que ser passada adiante de um jeito que faça sentido para a vida real das pessoas, simples e direta. A Peita nasceu pra isso e ver o quanto ela impacta a vida das pessoas é encorajador pra gente”, comenta Gallon.

EXISTE LUTA SOZINHA?

Fomentando o debate sobre feminismos e lutas, Karina Gallon e a filmmaker Leticia Futata, da Hai Studio, produziram os vídeos com depoimentos das mulheres que participaram junto com a presidenta da PEITA do Curso de Verão do Política por.de.para Mulheres. Os relatos começaram a ser publicados nas redes sociais no dia 8 de março, dia que marca o ínicio da marca.

Para Karina, dar voz à diversas mulheres é imprescindível para a luta feminista. “Empoderamento é a transformação que juntas provocamos na sociedade, é quando rompemos as estruturas de opressão e quando consideramos classe, gênero e raça. São problemas sociais e políticos complexos que só podem ser enfrentados com luta contínua, dentro e fora das instituições de poder. É isso que o feminismo representa.

NÃO EXISTE LUTA SOZINHA: o doc

A frase inspirada na citação da relações públicas e integrante do Coletivo Cássia, Thatiana Tucci, deu nome ao documentário. “ Eu fico muito feliz de ter inspirado o “Não existe luta sozinha” e essa frase ter virado uma Peita, porque é imensamente importante que as mulheres entendam que só unidas nós conseguiremos e que juntas as batalhas de cada uma se tornam muito mais fáceis. Nós (Coletivo Cássia - Eu Estou Com Ela) nunca fomos tão fortes quanto depois das inúmeras parcerias que firmamos ao longo desse um ano e meio de coletivo e a Peita com certeza é a mais sólida delas”, comenta Thati.

Assista ao “Não Existe Luta Sozinha: o doc”. A senha é putapeita.

Ficha técnica

Direção: Felipe Fonseca e Iago Mauad

Direção de Fotografia: Izadora Padilha e Felipe Fonseca

Produção Executiva: Maria Luiza Küster e Vitória Domingues

Edição e Finalização: Felipe Fonseca e Iago Mauad

SOBRE PEITA

A Peita nasceu dia 8 de março de 2017 com a frase “Lute como uma garota” invadindo as ruas de Curitiba nas manifestações do Dia Internacional da Mulher. O objetivo da marca-protesto é oferecer ferramentas de enfrentamento para mulheres lutarem contra as opressões diárias. A Peita cumpre com a missão de trazer os dizeres polêmicos do contexto das manifestações para os dias comuns, seja em camisetas, moletons, bolsas, bottons, ímãs, ecobagas ou adesivos. A proposta é causar incômodo, fazer com que as pessoas se sintam desconfortáveis ou se identifiquem com as frases e assim, gerar o diálogo sobre assuntos ainda espinhosos. Idealizado pela designer curitibana Karina Gallon, 70% das estampas são parcerias com movimentos, instituições e projetos sociais, mulheres que estão na militância e/ou empresas que se comprometem com o combate às opressões. O lucro ou parte da produção é doada para financiar as causas. Conheça algumas delas:

- Ninguém solta a mão de ninguém

Parceria: Zangadas Tattoo e Casa Tina Martins

Atuação: Zangadas é o estúdio da Thereza Nardelli, criadora da arte com a frase que viralizou após o fatídico segundo turno das eleições presidenciais de 2018. A Casa de Resistência Tina Martins (BH), casa-abrigo que apoia e acolhe mulheres que fugiram de seus lares para salvarem a si e aos filhos de situações de violência doméstica.

- Lute Como Marielle Franco

Parceria: Usine de Ideias, Mônica Benício, Anielle Franco e Luyara Santos.

Atuação: Usina de Ideias é uma associação criada por moradorxs do Parolin, em Curitiba, que realiza ações e atividades sociais e culturais para crianças, jovens, adultos e idosos moradores ou não da favela.

- Lute Como Uma Garota - branco com rosa

Parceira: Fundação Laço Rosa

Atuação: instituição sem fins lucrativos, destaque na disseminação de informação, influência em políticas públicas para o câncer de mama, defesa de direitos de pacientes e resgate da autoestima. Entre os projeto da instituição estão “Rosas do Morro”, que leva a comunidades carentes informações sobre a doença e os direitos da mulher. O site da fundação, uma plataforma interativa, é uma fonte segura de conteúdo sobre o tema e traz desde artigos científicos a comportamento. Há dois anos, desenvolveram o curso “Força na Peruca”, um programa de qualificação profissional em perucaria, onde parte da produção deve ser doada para o Banco de Perucas, que faz faz doações gratuitas a pacientes em quimioterapia. Nesses sete anos, mais de seis mil mulheres receberam uma peruca embalada em papel presente, com mimos e cartas de incentivo escritas por pessoas que já passaram ou passam pelo menos que elas.

- E agora que você sabe?

Parceira: Olhar de Cinema e “Ferrugem” filme de Aly Muritiba.

Atuação: o longa metragem fala sobre bullying e vazamento de fotos e vídeos de mulheres. A frase conversa com quem compartilha, pois isso é crime.

- Eu estou com ela

Parceira: Coletivo Cássia

Atuação: Grupo de lésbicas e bissexuais do Grupo Dignidade, primeira ONG no Paraná e a segunda mais antiga do Brasil, que atua há 26 anos na defesa e promoção dos direitos LGBTI+

- Produza como Uma garota

Parceria: Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba

Atuação: começou suas atividades em 2012 como um evento internacional de cinema independente que acontece todo mês de junho na cidade de Curitiba.

- Entenda que você faz parte

Parceira: Teto Curitiba - TETO Brasil

Atuação: é uma organização internacional que trabalha pela defesa dos direitos de pessoas que vivem nas favelas mais precárias, diminuindo sua vulnerabilidade por meio do engajamento comunitário e da mobilização de jovens voluntários.

- Meu corpo é político

Parceria: Alice Riff, Olhar de Cinema e Casa Nem

Atuação: Documentário da Alice narra a luta de quatro pessoas trans, militantes da luta pelos direitos LGBT. Olhar de Cinema é a distribuidora deste filme. Casa Nem é uma casa de apoio e acolhimento de pessoas trans no Rio de Janeiro.

- Você importa pra mim ou Ou empotan pou mwen

Parceria: Criativos do Haiti

Atuação: é uma iniciativa social independente sem fins lucrativos, que mobiliza voluntários para desenvolver atividades de cunho humanitário no Haiti.

- Mulher, solta a tua voz

Parceira: Festival Sonora Curitiba e Festival Sonora Olinda

O que é: feira de música produzida por mulheres para divulgar o trabalho de mulheres.

- O som que nasce delas

Parceira: Sonora Soma

O que é: Feira de música produzida por mulheres para mulheres do ramo musical.

- Mulheres à margem resistem

Parceria: Ebulição Marginal (Curitiba)

Ação: A frase criada pela escritora Ana Azevedo foi tema da Mostra Ebulição Marginal realizada em 2017, que homenageou a escritora brasileira Carolina Maria de Jesus. A Peita doou cerca de 40 camisetas, além de ajudar na divulgação do evento. A presidenta deu uma oficina de Lambe e Intervenção Urbana para os adolescentes que estavam participando.

- P.u.t.a

Parceira: Mulamba

Atuação: banda feminista que debate opressões em suas músicas.

- Apoio Geração Bizu

Atuação: é um programa de desenvolvimento pessoal, social e profissional de pessoas monitoradas por tornozeleiras eletrônicas, para a inserção no mercado de trabalho.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba