Palacete dos Leões tem volta gradual com novas exposições, formato híbrido e visitas agendadas

Por - Da Redação Bem Paraná com assessoria
(Foto: Guilherme Pupo)

O Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões anunciou sua reabertura ao público, adotando um plano gradual de volta ao atendimento presencial. As visitas presenciais iniciam-se no dia 22 de fevereiro, com a exposição “O que resta”, da artista Teca Sandrini, individual com oito pinturas, dois desenhos, três esculturas em mármore e um voil que convidam o espectador para um universo de detalhes.

Nas palavras da crítica de arte Maria José Justino, que assina a curadoria da exposição, o trabalho de Teca “é inseparável de sua existência” e os papéis de criadora e criatura se confundem constantemente. “As retinas fatigadas de Sandrini prosseguem executando a sua reforma doméstica. A pintura continua passional, dramática, brutal, moldada quase que exclusivamente pela cor, que inscreve, no branco da tela, traços cruéis e fortes”, escreve Justino em seu texto “Teca Sandrini, água de todas as possibilidades”.

Estela Sandrini é formada em pintura na Escola de Música e Belas Artes do Paraná e tem especialização em Antropologia Filosófica pela Universidade Federal do Paraná. Trabalhou no ateliê do professor Juan Carlo Labourdette, em Buenos Aires, e no Maryland Institute of Art, nos Estados Unidos. Entre 2011 e 2017, foi diretora cultural do Museu Oscar Niemeyer. Participou de diversas exposições coletivas e individuais no Brasil e no exterior e possui obras em importantes acervos institucionais.

A exposição “O que resta”, de Teca Sandrini, foi selecionada pelo Programa de Artes Visuais do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões e foi viabilizada por meio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba, com incentivo da Ademilar Consórcio de Imóveis. A exposição conta com um formato híbrido de atividades, com uma programação online para ser acessada nas redes sociais do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões. As visitas presenciais devem ser agendadas pelo site www.brde.com.br/palacete.

A partir de 1° de março, “Mãe, mar”, exposição da artista Livia Fontana, será apresentada na Sala da Torre, antiga cozinha da fase de moradia do Palacete. O trabalho realizado por Livia é uma reflexão sobre a fotografia na sociedade contemporânea, a partir de uma poética crítica que envolve a manipulação de imagens antigas e atuais, que partem de apropriações e acontecimentos da internet. “É uma exposição sobre a vida cada vez mais vigiada, o imperativo de representar e a impossibilidade de desconexão.” A exposição aborda essa temática a partir da evolução dos usos da fotografia, como em sua série “Loading”, que lida com o estado de ansiedade de imagens que ainda não se formaram. Amélia Correia assina o texto crítico da mostra.

O tema da erva-mate também estará presente na programação, com a exposição “Narrativas e poéticas do mate”, que integra o programa Circuito Ampliado – Acervos em Circulação, uma iniciativa de cooperação institucional idealizada pelo Museu Paranaense e pelo Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões. O programa tem como objetivo incentivar a pesquisa em acervos, estimular novos recortes curatoriais e proporcionar a ampliação de públicos com a circulação de acervos de Curitiba. A primeira iniciativa nesse sentido foi fomentar pesquisas sobre acervos relacionados à erva-mate, buscando amplificar as percepções sobre o patrimônio ervateiro a partir da perspectiva histórica, antropológica, artística e cultural. “Narrativas e poéticas do mate” apresentará um conjunto de rótulos ervateiros provenientes do acervo do Museu Paranaense, uma sala botânica, além de obras do artista Alfredo Andersen relacionadas à erva-mate. Durante a exposição, a Sala da Torre receberá a instalação “O verde é o verde”, da artista Eliane Prolik.

Sobre o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões

Inaugurado em junho de 2005, o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões, localizado em Curitiba, é mantido e coordenado pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul. Oferecendo uma programação gratuita, realiza exposições e atividades relacionadas à arte contemporânea, arquitetura, história e patrimônio cultural. Sua programação contempla um programa de mostras temporárias de artistas nacionais e de exposições em parceria com outras instituições culturais.

Serviço

Exposição “O que resta” – Teca Sandrini

Com curadoria de Maria José Justino

Período expositivo: de 22 de fevereiro até 31 de março

Local: Salas 1 e 2

Exposição “Mãe, mar” – Livia Fontana

Com texto de Amélia Correia

Período expositivo: de 1° a 31 de março

Local: Sala da Torre

Exposição “Narrativas e poéticas do mate”

Programa Circuito Ampliado – Acervos em Circulação / Em parceria com o Museu Paranaense

A partir de 12 de abril, por todo o Palacete

Local: Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões

Av. João Gualberto, 570 – Alto da Glória – Curitiba/PR

Entrada gratuita

Horário de visitação: horários variados, de segunda a sexta, somente mediante agendamento: www.brde.com.br/palacete.

Os horários para agendamento são semanais e abertos às quintas-feiras, a partir de 14h.

Visita segura

Em sua reabertura, o Palacete adotou o agendamento das visitas. São obrigatórios o uso de máscara durante todo o período no Palacete, a medição da temperatura corporal, seguir as regras de distanciamento social, entre outras medidas. Mais informações podem ser encontradas no site www.brde.com.br/palacete e nas redes sociais @EspacoCulturalBrde.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba