Núcleo de projetos audiovisuais de Curitiba realiza encontros remotos durante a pandemia

- Atualizado às 22:04
Mosaico de encontros remotos
Mosaico de encontros remotos (Foto: Divulgação)

Mesmo com a pandemia do Coronavírus, o NPA – Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba tem conseguido dar continuidade ao trabalho. O isolamento social não impediu os encontros que, desde março, têm acontecido de forma remota e têm sido bem produtivos. O desenvolvimento dos projetos selecionados para a edição de 2020 tem sido acompanhado virtualmente pelos orientadores do Núcleo, o roteirista Daniel Tavares, que vive em Fortaleza/CE e a cineasta curitibana Jessica Candal Sato. Os encontros são gratuitos e têm sido realizados a cada três semanas com o objetivo de oportunizarem orientações e desenvolvimento dos roteiros e ideias, cultivando a troca a partir da fala e da escuta entre os roteiristas.

“O formato online tem sido bem produtivo durante a pandemia, pois nossos roteiristas têm tido mais tempo para se dedicarem aos seus projetos e ao processo em geral”, conta Marcelo Munhoz, coordenador do NPA.
Ao longo dos seis meses, de fevereiro a agosto, o projeto previa também o oferecimento de mais três masterclasses com profissionais de renome da área, abertas ao público, além da inaugural realizada em fevereiro. Com as mudanças, a coordenação do Núcleo está reformulando o formato e viabilizando a execução online o que possibilita o aumento no número de masterclasses e variedade de assuntos.

“Estamos levando o projeto para a internet. Se, por um lado, perdemos uma parte dos encontros presenciais, por outro, teremos um alcance maior de público e de resultados, além de oferecer uma opção cultural relevante em tempos de quarentena”, ressalta Munhoz.
Apesar da tendência de todos os encontros serem virtuais, assim como as masterclasses, a equipe quer realizar a Mostra Final, evento onde os roteiros são apresentados ao público e às produtoras da cidade, de forma presencial, caso a situação sanitária do país esteja normalizada.

“O momento é muito pesado, mas encaramos a escrita e o cinema como trincheiras possíveis. O momento é de mapear tais trincheiras e ocupá-las. A arte é um elemento poderoso”, diz Daniel Tavares, orientador do NPA.
Projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura | PROFICE da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura | Governo do Estado do Paraná. Apoio: COPEL.

Conta ainda com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba