Nati Bermúdez lança o EP ‘Vazio Lúcido’ em Curitiba

Por - José Marcos Lopes, especial para o Bem Paraná
Nati Bermúdez: uruguaia radicada em Curitiba
Nati Bermúdez: uruguaia radicada em Curitiba (Foto: Marcia Kohatsu)

Música brasileira com elementos pop, melodias bem estruturadas e arranjos simples, mas ao mesmo tempo sofisticados, são as marcas do primeiro lançamento da cantora, flautista e compositora Nati Bermúdez, uruguaia radicada em Curitiba que lança amanhã o EP ‘Vazio Lúcido’ nas plataformas digitais. São cinco músicas compostas por ela, gravadas em Curitiba e produzidas pela arranjadora e instrumentista Érica Silva.

Feito com recursos da Lei Aldir Blanc, ‘Vazio Lúcido’ foi gravado no início do ano passado, durante o isolamento imposto pela pandemia da Covid-19. “Eu tinha essas músicas e a proposta era a Érica Silva fazer a produção. Ela fez alguns arranjos e fomos criando juntas. Muitas ideias foram dela, de trazer pitadas de pop e várias referências que ela tem, antenada com as tendências atuais da música”, diz Nati. “Cada músico foi incorporando suas próprias características”.

Duas músicas que fazem parte do EP já estão disponíveis no YouTube: ‘Ciranda Menina’ e ‘Ecos’, com participação de Déa Trancoso, que gravou sua parte em Minas Gerais. ‘Ciranda Menina’ é a canção mais antiga do EP (foi composta há mais de dez anos). Segundo Nati Bermúdez, a ideia foi descrever os movimentos de uma moça dançando ciranda por meio do movimentos melódicos da música, com um tema circular que se repete e cujos versos vão se alimentando. É a faixa mais eletrônica do EP, com menos instrumentos orgânicos - apesar da percussão que dita as regras no final.

‘Ecos’ é a faixa mais orgânica e experimental do EP. “Decidimos colocá-la bem ao centro entre as músicas, para que ela seja um pico de estranhamento bom entre as outras com uma pegada mais pop”, define a compositora. A letra inspirou o nome do EP, “Vazio Lúcido”. “Fala sobre o que está além das palavras, o que estas não conseguem explicar. Temos a participação da Déa Trancoso, o que para mim é uma enorme honra e um prazer incrível”. Outro destaque é o arranjo para violão de sete cordas feito por Murilo Macari.

As outras músicas são ‘No Avesso dos Sonhos’, com participação de Jessie Rolim no vocal, ‘Linhas Tortas’ e ‘Andarilhar’. O EP estará disponível nas plataformas Spotify, Deezer e Youtube. Nati Bermúdez fará uma apresentação de lançamento, no dia 10 de dezembro, no Paço da Liberdade, em Curitiba, ao lado de Érica Silva.

O álbum tem Nati Bermúdez (flauta e voz), Murilo Macari (guitarra e violão de sete cordas), Érica Silva (violão de aço, beat e synths), Klüber (piano, rhodes e synths), Gabriela Bruel (percussão), Camila Cardoso (bateria), Vic Vilandez (baixo) e Sérgio Freire (saxofones), além das participações especiais de Déa Trancoso e Jessie Rolim. O EP foi gravado nos estúdios Click Audioworks, Easter Egg Studio e Home Studio de Francisco Trancoso, em Curitiba.

Além dos arranjos, as músicas de Nati Bermúdez chamam a atenção pelas melodias bem trabalhadas. “Eu lembro de muito criança já criar musiquinhas, fazer paródias de outras músicas”, conta a compositora, que canta desde os 8 anos e mora em Curitiba desde os 6. “Isso foi crescendo e amadurecendo ao longo dos anos. Na adolescência eu fazia mais rock, quando entrei na faculdade entrei em contato com outros ritmos. São referências diferentes, que foram acrescentando na minha composição”.

Nascida em Montevidéu e formada em Música Popular pela Faculdades de Arte do Paraná (FAP), Nati Bermúdez integra a banda Sincopé e o duo Seiva. É professora de canto, tradutora e locutora. Cantou em jingles e corais quando era criança e ganhou o prêmio de vocalista revelação no WebFest Valda em 2012. É formada em Flauta Transversal na Escola de Música e Belas Artes do Paraná.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba