Museu da Gravura de Curitiba abre exposição Viver o Tempo

Por - Barulho Curitiba
(Foto: Divulgação)

O Museu da Gravura Cidade de Curitiba, espaço da Fundação Cultural de Curitiba no Solar do Barão, abre uma nova exposição, nesta quinta-feira (14/10), com gravuras e pinturas das artistas plásticas Eliana Araújo e Miriam Fischer. As duas artistas, que são frequentadoras dos ateliês do Museu da Gravura, montaram a mostra Viver o Tempo, que poderá ser apreciada pelo público até 9 de janeiro.

A entrada é grátis e as visitas podem ser feitas de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h.

Eliana Araújo apresenta uma série de gravuras em metal, entre antigas e novas produções da sua carreira de mais de 40 anos. Formada pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap), ela foi professora de artes em escolas da rede pública, mas nunca deixou de lado a produção artística. Descobriu e se “apaixonou” pela gravura quando frequentou a Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro, uma das cidades onde morou até retornar a Curitiba.

Curador da exposição de Eliana Araújo, o artista Vinícius Buzzato diz que as imagens abstratas da gravurista “encontram-se solitárias, pacíficas, calmamente envoltas à atmosfera de um papel. Ali habita a natureza das coisas, vinda de seu gesto que calmamente ativa, conduz e percorre a gravação, florescendo sua empatia com o breve instante”, descreve o curador.

Natureza

Miriam Fischer selecionou dez obras na técnica de gravura em metal e também pinturas recentes produzidas em casa nos últimos dois anos, enquanto não pode frequentar os ateliês do Museu da Gravura (fechados por medida de prevenção à pandemia de coronavírus). Miriam é formada pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP), com pós-graduação em Poéticas Visuais pela Embap. Tem mais de 20 anos de carreira, período em que se dedicou também a dar aulas na rede particular de ensino.

Suas obras retratam paisagens. “A contemplação da natureza e a investigação das linguagens da gravura e da pintura são as bases de sua poética”, atesta o curador Bruno Marcellino.

O Museu da Gravura mantém os cuidados de prevenção à pandemia de covid-19. Para entrar no espaço cultural, é necessário usar máscara corretamente colocada sobre o rosto. Na portaria, é preciso passar pela verificação da temperatura corporal e aplicar álcool em gel, disponível no local.

Serviço:

Exposição Viver o Tempo, de Eliana Araújo e Miriam Fischer
Museu da Gravura Cidade de Curitiba – Solar do Barão (Rua Carlos Cavalcanti, 533)
De 14 de outubro de 2021 a 9 de janeiro de 2022
De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h
Entrada gratuita

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba