Lu, Mel e Júpiter: conheça a família de bruxas que mora em Curitiba

- Atualizado às 19:55
Por - Maitê Ritz
(Foto: Maitê Ritz)

Há alguns meses, uma amiga me recomendou um perfil no Instagram, disse que eu gostaria da história dessa família e do trabalho delas. Passei a seguir o tal perfil e em menos de 20 minutos já estava fascinada e apaixonada pela maneira que aquela família vivia, pensava e ajudava os outros. Perguntei a elas se poderíamos conversar pessoalmente, e se poderia contar a história delas. Elas aceitaram.

 

A Lu e a Mel são noivas e realizam atendimentos com Astrologia, Tarot e Bruxarias através do seu projeto: Meio da Terra. Juntas, elas tiveram a Júpiter, uma nenê fofa demais. Essa família me recebeu em sua casa, que é tão receptiva quanto suas proprietárias, com quadros coloridos, paredes pintadas, muitas simpatias e um ar de lar doce lar. Conversamos por horas em meio a choros de nenê, carinhos de gato, histórias sofridas e muitas risadas. 

 

Desse papo nasceu esta pequena reportagem escrita e uma entrevista em vídeo completa que está disponível no nosso canal do Youtube.

 

O RELACIONAMENTO

 

Comecei perguntando sobre um texto muito emocionante que a Mel publicou sobre o casamento das duas, onde ela comentava que desde quando se conheceram, a Lu dizia para ela “Eu vou casar com você”. Então as duas resolveram me contar a história desse amor desde o começo, que foi lá em Floripa.
“A gente se conheceu quando eu trabalhava em um café, e a Luisa foi pedir emprego por lá e na hora já deu um “clique”, começa Mel.

 

“Foi muito doido, porque eu decidi que precisava trabalhar do nada, eu estava em uma fase estranha e algo me dizia que eu precisava trabalhar. Então eu fui até esse café que ficava ao lado da minha casa e pedi um emprego por lá, e a Mel estava lá.”, complementa Luisa.

 

“A gente conversou sobre como nossos mapas astrais se complementavam totalmente, um é o inverso do outro, e ela continuava dizendo “eu vou casar com você” e um dia rolou. Ela também tirava Tarot todo dia, e todas as vezes as cartas diziam que a gente ainda iria ficar juntas algum dia.”, continua Mel.

 

A JÚPITER 

 

Conversar com a Lu e a Mel é uma experiência de crescimento e mesmo muito vidrada em todas as palavras que elas proferiam eu acabava me distraindo com a fofura da Júpiter, filha das duas, que tem apenas 6 meses. A Mel é uma mulher trans, então a Júpiter é filha biológica dela e da Lu. Perguntei às duas como foi todo o processo, desde a decisão de ter um bebê até toda a convivência, e é claro, o preconceito.

 

“Eu sempre falei que queria e a que nós teríamos filhos, e a Mel nunca negou.”, diz a Lu seguida de uma risada. “Um dia a gente decidiu que ia rolar, e rolou. Nesse mesmo dia a gente já até escolheu os nomes.”

 

Na questão do preconceito, perguntei sobre os questionamentos que o relacionamento gera e como o público reage a isso, se as incomoda e se houve algum episódio específico. “Em relação ao preconceito, a gente não sofreu nada em grande escala. A maioria do público que atendemos é formado por mulheres e na maioria das vezes elas não estranham nada, é tudo natural e completamente normal. Já chegaram até a perguntar qual das duas que tinha parido a Jup. Elas não possuem essa visão construída para identificar que eu sou Trans, como aquela que os homens têm. Para elas não importa. Já para os homens, esse ensinamento é dado a eles desde cedo para identificar o que é um “traveco” e hostilizar. Aí é complicado.”, comenta Mel. 

 

“E nós recebemos muito amor dos nossos seguidores. Muito mesmo. Não só deles, mas como de nossos clientes, de amigos e conhecidos. Então para nós é muito estranho quando algo fora dessa rede amor acontece, como esses dias que fomos almoçar em um restaurante e uma senhorinha ficou nos encarando o tempo todo, julgando. São situações que nos fazem lembrar que nem todo mundo faz parte dessa rede de amor, e o mundo é como é. Mas não temos do que reclamar.” , complementa Lu, explicando.

 

“A gravidez foi muito tranquila e o parto foi a coisa mais linda. A Júpiter nasceu aqui nessa casa, em uma cerimônia linda, foi a própria Mel que tirou ela de mim. Quando eu falo desse momento, e dois primeiros dias em que ficamos em casa com ela, tenho vontade de chorar. Foi um tempo muito bom.”, Lu relembra.

 

O MEIO DA TERRA

 

O casal tem o próprio negócio, intitulado de Meio da Terra, onde elas vendem seus serviços ligados a bruxaria, tarot, astrologia e magias. Com mais de quatro mil seguidores no Instagram e uma agenda completamente lotada, atendendo de segunda a sexta, as duas constroem sua renda através de seus dotes místicos.

 

“A Lu sempre gostou e estudou astrologia, desde criança. E eu sempre fui muito ligada com tarot, entidades e neste estilo. Mas nunca havia atendido dessa forma, as leituras que eu realizava eram de uma forma mais nômade. E a Lu nunca tinha trabalhado propriamente com isto. No hostel em que a gente trabalhava tinha muito tempo livre, pois era bem pacato, então a gente conversava muito e inventava vários mundos. Um dos nossos mundos era um em que a gente teria uma escola de bruxaria e trabalharia com isso. E assim nasceu a ideia do Meio de Terra.”, me conta com detalhes Mel.

 

“Sim, eu nunca tinha trabalhado com isso, e os trabalhos da Mel eram realmente nômades. Então o Meio da Terra é o primeiro projeto completo que a gente fez e não poderia estar dando mais certo.  Somos muito felizes por poder trabalhar com isso e principalmente por estar sempre perto da Júpiter. Nós não queríamos ser aquelas mães que trabalham o dia todo fora e não conseguem ficar com os filhos, ou tê-la que deixar com alguém estranho, sabe?”, complementa Luisa.

 

Luisa continua a falar, apontando para o fato de que a segurança também importa. “Estamos se especializando cada vez mais e nosso enfoque é no público feminino e LGBT. A gente até atende homem cis hétero, mas é complicado, e a procura por parte deles é quase nula também. Somos duas mulheres com um bebê atendendo em sua casa. É complicado. Mas de qualquer forma, as pessoas gostam muito do nosso trabalho e nós somos muito felizes fazendo o que fazemos.” 
 

 

ENTREVISTA COMPLETA 
Em meio a tantas conversas, tanta história e tanta bruxaria, nós fizemos um episódio do #PersonaCuritiba com elas e você pode conferir essa conversa na íntegra no nosso canal do Youtube.


 

 

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba