Literatura paranaense em lives no projeto 'Às vezes, domingo'. Veja quando

Por - Barulho Curitiba
(Foto: Divulgação)

Jaqueline Conte e Jô Bibas são as convidadas da quinta edição de “Às vezes, aos domingos”, bate-papo sobre literatura que acontece neste domingo, 18 de outubro, a partir das 17 horas no Instagram @jobibas. Elas devem conversar sobre processo criativo, diálogo com leitores e obras favoritas. “Temos muito em comum: o interesse pela literatura infantil, a produção de histórias, o tráfico de palpites, e o essencial desejo de formar leitores. Dessas tangências todas só pode brotar boa conversa”, diz Jô Bibas.

“Às vezes, aos domingos” pode, de fato, ser definido a partir das observações de Jô Bibas: é um encontro entre duas vozes, geralmente autores ou, no caso deste próximo evento, autoras, e essa oportunidade tende a gerar uma conversa instigante, conteúdo que pode interessar não apenas a escritores e escritoras, leitores e leitoras, mas a curiosos e ao público de maneira geral.

E o projeto, já em sua quinta edição, surgiu por acaso. O escritor Guido Viaro, que acaba de publicar o seu 18º romance, Trem, sugeriu ao escritor Marcio Renato dos Santos: vamos fazer uma live? O contista, autor entre outros livros de A cor do presente (2019), não apenas aceitou, mas sugeriu uma série de lives, sempre com dois autores ou autoras paranaenses, no Instagram de uma das autoras ou autores convidada(o)s.

“O nome, em alguma medida, explica o projeto: são encontros que acontecem às vezes, nem sempre, mas aos domingos”, diz Marcio Renato dos Santos, que batizou a série de lives que já teve a participação dos escritores Jonatan Silva, Carlos Machado, João Lucas Dusi, Etel Frota e Ernani Buchmann, além dos dois curadores e coordenadores, Guido Viaro e Marcio Renato dos Santos, no primeiro encontro.

A pandemia e os seus indesejados efeitos, como isolamento (necessário) e a impossibilidade de encontros presenciais, deflagrou o projeto, mas os dois escritores-curadores da proposta já conversavam há algum tempo sobre a necessidade de promover ações para dar visibilidade a autores paranaenses. “Mais do que isso, o projeto está sendo feito por meio de um posicionamento e de uma linha de comunicação visual. A soma desses encontros de profissionais permite dar visibilidade para a atividade literária local, divulgar o trabalho e os profissionais para a comunidade local, e até mesmo nacional, transformando-se gradualmente em uma marca, que pode gerar outras ações”, observa Claudia Lubi, publicitária e uma das sócias da Soma de Ideias, uma das empresas apoiadoras do projeto – a Tulipas Negras Editora também apoia “Às vezes, aos domingos”.

O projeto que teve início em julho não tem data para acabar. Afinal, como dizem os escritores-curadores, é possível seguir por longa temporada. “Há inúmeras vozes, autoras e autores para participar desses encontros, em geral, interessantíssimos”, diz Marcio Renato dos Santos, convidando o público do Bem Paraná para a próxima edição, neste domingo, e para as seguintes. “Vamos prestigiar e celebrar as vozes da literatura feita a partir do Paraná, vozes que precisam de visibilidade e atenção pela potência que possuem”, afirma. Guido Viaro lembra que, como Tolstói disse, para ser universal devemos cantar a nossa aldeia. “E o projeto ‘Às vezes, aos domingos’ é uma maneira de a aldeia cantar seus poetas e prosadores”, finaliza.

Informações sobre o evento e as próximas atrações no Instagram @somadeideias e no blog tulipasnegraseditora.blogspot.com

Conheça as autoras que participam da 5.ª edição de “Às vezes, aos domingos”, neste domingo, 18, a partir das 17 horas, no Instagram @jobibas.

Jaqueline Conte é jornalista, pesquisadora e escritora. Doutoranda em Materialidades da Literatura pela Universidade de Coimbra, é mestra em Estudos de Linguagens pela UTFPR. Ela é autora dos livros infantojuvenis “Na casa amarela do vovô, Joaninja come jujubas” (MercadoLivros, 2016), “Passarinho às Oito e Pouco” (Insight, 2019) e “Os Jornais de Geraldine” (Arte & Letra, 2019). Integra o Núcleo Gestor do Coletivo de autores Era Uma Vez.

Josiane Mayr Bibas (Jô BIbas) é fonoaudióloga e empreendedora social. Há 8 anos fundou e coordena a Freguesia do Livro, que faz livros chegarem livremente a quem precisa deles. Coordena o grupo de autores de LIJ de Curitiba e o Coletivo Era Uma Vez. Ilustradora e escritora de literatura infantil e juvenil tem os seguintes livros publicados: “A Coceira de Bartolomeu” (Editora Insight, 2015), “Um Verão na Ilha” (Editora Inverso, 2018), “O Tesouro das Férias” (Editora Insight, 2019) e “Doeu, Bartolomeu?” (Ed. Insight, 2019).

Confira a primeira edição de “Às vezes, aos domingos”: https://www.youtube.com/watch?v=1fghgHDFheU

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba