Jornalistas lançam revista digital gratuita sobre religiosidade de matriz africana

- Atualizado às 16:29
Por - Barulho Curitiba
(Foto: Divulgação)

As religiões de matrizes africanas no Brasil ganham, no próximo dia 31 de julho, mais um aliado contra a intolerância religiosa. Na data, a primeira edição da revista digital KOBÁ estará disponível para leitura gratuita no site. Com foco na religiosidade de matriz africana, a publicação visa reunir conteúdo sobre Umbanda e Candomblé de forma informativa e didática.

“A afrorreligiosidade sobreviveu através da oralidade. Sendo transmitidas de geração em geração — e de boca em boca —, as fés de orixá se enraizaram na cultura popular brasileira e contribuíram para a formação do país. Hoje, essa característica se mantém, mas também é preciso registrar”, destaca Gabriel Sorrentino, editor-chefe do periódico.

Além de reportagens, contos, poesias e reflexões sobre religiosidade e sociedade, as edições contam também com colunas assinadas por jornalistas, pais e mães de santo, pesquisadores e irmãos de fé. “Nós acreditamos na informação como principal força no combate ao racismo religioso”, afirma o editor.

No time de colunistas estão a jornalista e poetisa Clara Nery, assinando a coluna “Hibisco”; Renata Barros, iniciada no culto tradicional de orixá, com a coluna “Yorubá”; Tatiane Falheiro, que compartilha os “Pensamentos de Abian”; a coluna “Umbanda Eu Curto”, escrita por um dos maiores portais sobre a religião do país; e o cientista social Obalerá de Deus, que aborda “Terreiro e Sociedade”.

O professor doutor Babalawo Ivanir dos Santos também faz parte do time, assinando a coluna “Baba Responde”, onde irá sanar dúvidas dos leitores. Além do contato com o público pelas redes sociais, a sessão trará uma maior interatividade do público também nas edições.

“É uma revista que vai tratar da nossa espiritualidade e da nossa religiosidade a partir de temas modernos, dialogando com o tradicional”, comenta o colunista.

O fotógrafo Marco Alcântara e o designer Breno Loeser são os responsáveis por expressar os textos da publicação em imagens. O projeto gráfico, por sua vez, foi criado pelo também designer Fábio Mateus.

Recolhimento

A edição de estreia aborda o tema ‘Recolhimento’, em referência ao ritual que acontece em algumas tradições afrorreligiosas e ao isolamento social durante pandemia.

“Em meio à quarentena que obrigou os umbandistas e candomblecistas a fecharem os seus barracões, a revista KOBÁ, em sua primeira edição, propõe uma reflexão em torno de uma palavra muito familiar quando o assunto é casa de santo: recolher”, conclui Sorrentino.

Serviço:

Para se cadastrar gratuitamente  e receber a revista por e-mail sempre que uma nova edição estiver disponível, acesse: https://bit.ly/3ekwcZi. | Acompanhe também as colunas digitais no Instagram do periódico: https://bit.ly/32oNe62.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba