Google cancela Dia da Mentira em respeito a todos que lutam contra o coronavírus

Por - Barulho Curitiba
(Foto: Divulgação)

A pandemia de Coronavírus pelo mundo tirou todo o clima do tradiciional Dia da Mentira. em 1º de abril. Além da doença em si que deixa um rastro de mortes pelo mundo, o dia da mentira é  perigoso quando há uma avalanche de notícias falsas. O Google, por exemplo, cancelou Dia da Mentira.

A companhia ficou popular pelas brincadeiras a partir de 2005, quando anunciou uma bebida fictícia chamada Google Gulp. Desde então, pegadinhas do tipo vinham sendo realizadas todos os anos pela companhia, com o tradutor para animais na ferramenta de tradução ou o “photobomb” com celebridades. Entretanto, a brincadeira será interrompida em 2020.

De acordo com um e-mail interno obtido pelo site Business Insider, a empresa cancelou seus projetos centrais para piadas de 1° de abril e pediu que equipes também cancelassem as piadinhas que estavam planejando, fossem elas destinadas ao público em geral ou aos próprios funcionários, “em respeito a todos que estão lutando na pandemia de covid-19”.

“Vamos deixar as piadas para o próximo abril, que com certeza será muito mais brilhante do que este. Nós já paramos todos os esforços centralizados de 1° de abril mas entendemos que possam haver projetos menores dentro dos times e que não sabemos. Por favor, descubram esses esforços e tenham certeza que seus times parem com qualquer piada que possam ter planejado — internamente ou externamente”, disse Lorraine Twohill, diretora de Marketing, em e-mail a gerentes da empresa. “Nosso maior objetivo agora é ajudar as pessoas, então vamos guardar as piadas para o próximo abril, que será sem dúvida será muito melhor do que este”, completou.

Países -  Segundo informações da agência de notícias Reuters, na Tailândia as pessoas que fizerem piadas do dia 1º de Abril sobre a pandemia podem enfrentar até cinco anos de prisão. “É contra a lei fingir estar infectado com covid-19 neste Dia das Mentiras”, escreveu o Governo tailandês no Twitter.

Na Índia, as autoridades também avisaram que eventuais piadas podem ter consequências legais, enquanto na Alemanha, o ministro da Saúde, Jens Spahn, adoptou a hashtag "o coronavírus não é uma piada”, para pedir aos alemães que não fizessem piadas que pudessem contribuir para a desinformação sobre a pandemia.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba