Exposição inédita em Curitiba apresenta pinturas para deficientes visuais

Por - Da Redação Bem Paraná com assessoria
(Foto: Divulgação/Assessoria de imprensa)

No último sábado (10) inaugurou a exposição “O Sentido do Olhar”, da artista curitibana Estela Sandrini, no Museu Municipal de Arte (MUMA) de Curitiba. Com entrada gratuita, são 21 pinturas expostas com foco em deficientes visuais (cegos, baixa visão, daltônicos, entre outros), contando com visita guiada pelas obras com áudio descrição por meio de um QR Code e duas releituras em alto relevo, para que todos consigam sentir, seja através da visão, da audição ou do toque. A exposição permanece no local até o dia 10 de outubro.

Realizada através do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura - Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba, com apoio do Grupo Positivo, a exposição é um trabalho em conjunto de Estela com Andreia Andrade Rocha e André Barroso da Veiga, do Graciosa Arte Coletivo, do designer Vivaldo Vieira Neto, da professora e pesquisadora da UFPR Sandra Marchi e do doutor professor da Escola de Música e Belas Artes Fabricio Nunes.

A ideia surgiu com Andreia e André, mas tomou novas proporções com um pedido pessoal de Teca, como Estela Sandrini é conhecida pelos amigos. “Quero uma exposição para cegos”, disse ela aos idealizadores. O pedido foi pessoal, pois a artista plástica começou a perder a visão no final da década de 1990 e, hoje, possui somente 5% do total. “A intenção é que tanto o cego, como qualquer pessoa que tenha alguma deficiência visual, se enriqueça com a exposição”, destaca.

Para Andréia, coordenadora e idealizadora da exposição, “O Sentido do Olhar” é muito mais do que um evento artístico. “Além de uma exposição cultural, é um projeto educativo, de contrapartida social. Foi pensado entre nós, a Teca Sandrini, a Sandra e o Vivaldo. É um projeto coletivo, de todos nós”, afirma, destacando a importância do trabalho colaborativo de todos os envolvidos.

Para trazer a inclusão de pessoas com deficiência em obras visuais, a exposição abraçou a tecnologia: todas as pinturas de Estela possuem áudio descrição, em que a artista detalha o uso de formas, cores e como ocorreu o processo criativo da artista. Já as releituras em alto relevo usam a Tecnologia Assistiva see collor, desenvolvida pela professora e pesquisadora da UFPR Sandra Marchi. A técnica aplica uso de relevos tanto nas formas como nas cores usadas na pintura original, para que o deficiente visual possa diferenciá-las através do toque e de um código de cores.

Estela Sandrini

Estela possui uma carreira com mais de 60 anos e já produziu obras em várias linguagens: desenho, pintura, gravura e até escultura. Suas pinturas detalham o cotidiano através de objetos, como cadeiras, talheres, travesseiros e gavetas.

Nascida em Curitiba em 1944, se formou pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP) em 1967. Nos anos seguintes, fez estágios na Argentina e nos Estados Unidos. De volta ao Brasil, lecionou na EMBAP durante a década de 1990 e, de 2011 a 2017, foi diretora do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, aproximando o público com algum tipo de deficiência visual e de baixa visão com as artes visuais.

Serviço:

Exposição “O Sentido do Olhar”, de Teca Sandrini

Quando: 10 de julho a 10 de outubro

Horário: Ter à dom l 10hs às 19hs

Onde: Museu Municipal de Arte (MUMA)

Endereço: Av. República Argentina, 3430

Instagram: https://www.instagram.com/osentidodoolhar/

Facebook: https://www.facebook.com/events/172501864790753

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba