Curitiba é a casa de um dos ‘edutubers’ mais bem-sucedidos

- Atualizado às 23:42
Por - Rodolfo Luis Kowalski
Professor Noslen: diversão e educação caminham juntos
Professor Noslen: diversão e educação caminham juntos (Foto: Arquivo pessoal)

Toda vez que entrava numa sala de aula, o professor de português e literatura Noslen Borges de Oliveira se deparava com uma mesma cena: alunos com celulares nas mãos e olhos fixos para a tela. Era obrigado a assumir o papel de carrasco, distribuindo broncas e pedindo para que os pupilos guardassem o equipamento e ele, enfim, pudesse dar início à apresentação do conteúdo.
A partir dessa cena corriqueira, no entanto, surgiu uma ideia. Afinal, se os alunos estão plugados no celular, por que não levar a Língua Portuguesa também para dentro do celular? Dessa forma, mais cedo ou mais tarde os estudantes acabariam o encontrando nas redes sociais e poderiam estudar onde quisessem e na hora em que quisessem.
Foi assim que, em 2015, ele criou no YouTube o Canal do Professor Noslen. Cinco anos depois, já conta com mais de 2,6 milhões de inscritos na plataforma e, recentemente, pôde se demitir do último dos sete empregos que acumulava, dando aulas em escolas e cursinhos. Hoje, só na internet e com uma carga horária de trabalho bem menos complicada, já consegue até ganhar mais do que recebia antes, quando se dividia entre diversos empregos.
“Eu fui largando os presenciais à medida que o on-line supria o financeiro igual ao que eu tinha com 7 instituições. Tudo com muita calma e um passo de cada vez”, conta o professor Noslen, que revela ter decidido largar seu último emprego ‘tradicional’ por conta das viagens que tem feito pelo Brasil todo dando aulões presenciais. Tudo fruto do sucesso e notoriedade que conseguiu com o canal.
“Devido ao canal, muitas instituições de ensino me chamam pra dar esses aulões, pois os alunos querem me ver pessoalmente. Muito louco tudo isso, tudo muito surreal”, conta o professor, que é seguido no YouTube por, principalmente, alunos de São Paulo, Rio de Janeiro e do Nordeste e Norte do Brasil, com idade entre 17 e 24 anos. “No Nordeste é quase impossível andar em ambiente público sem ser abordado por alguém para tirar foto e receber agradecimentos, o que me deixa extremamente feliz de saber que estou contribuindo para a vida de tanta gente”, conta Noslen.
Para ele, todo esse sucesso é sinônimo de realização. Afinal, antes mesmo de decidir ser professor, sua vontade era poder ajudar os outros.
Nessa entrevista exclusiva ao Bem Paraná, o Professor Noslen conta um pouco mais sobre sua trajetória antes e depois do canal no YouTube e também comenta sobre planos futuros. Confira!

Das salas de aula até o sucesso no YouTube

Bem Paraná - Como surgiu o gosto pela leitura, pelas letras em sua vida?
Professor Noslen - Desde pequeno eu sempre me interessei por textos narrativos e poéticos. Com 12 anos eu fazia pequenas poesias e gostava muito de analisar letras de músicas brasileiras, especialmente MPB.

Bem Paraná - E quando descobriu que queria se formar em Letras, ser professor?
Professor Noslen - Com 21 anos, eu percebi que queria uma profissão a qual eu pudesse ajudar aos outros. Logo veio a ideia de ser professor. Para decidir por qual matéria, lembrei daquilo que eu sempre tive facilidade a vida toda e sempre gostei, texto. Então fui pelo caminho de Letras.

Bem Paraná - Desde o princípio, quando começou a dar aulas, já tinha esse jeito mais leve, essa forma bem-humorada de dar aulas?
Professor Noslen - Quando eu fiz cursinho pré-vestibular, admirava os professores que tinham essa capacidade de deixar as matérias leves, brincar com o conteúdo ao mesmo tempo que ensinavam.Então, quando escolhi ser professor, acabei me inspirando neles e criando o meu estilo nessa mesma didática.

Bem Paraná - Como fazer tanta gente gostar, querer estudar o português, a gramática ainda mais em uma plataforma como o YouTube?
Professor Noslen - Como fazer gostar? Eu não sei, mas eu procuro dar aulas no YouTube mostrando que eu gosto do assunto e procuro passar esse meu gosto a quem assiste. Talvez seja uma das coisas que ajudem nesse projeto. O YouTube é a plataforma mais democrática da internet, lá podemos dar risadas com canais de humor, nos informar com canais jornalísticos, nos divertir com canais de games, ver seu esporte favorito com canais de esporte e também estudar com os canais de educação, ou seja, é o público quem escolhe o que deseja naquele momento no YouTube e eu busco atrelar educação com entretenimento e muito bom humor por ser uma professor feliz fazendo o que faço!

Bem Paraná - Quando e por que decidiu montar o canal de YouTube? Quais as maiores dificuldades que enfrentou no início?
Professor Noslen - Montei o canal em outubro de 2015, fiz um vídeo piloto de revisão para o Enem, o qual atingiu 1.500 visualizações em apenas duas semanas, o que pra mim foi surreal. A decisão de montar o canal partiu de algo que eu percebi em sala de aula presencial: todos os alunos plugados no celular e eu tendo que pedir para que eles guardassem para que eu pudesse iniciar a aula. Pensei: “Todos estão plugados no celular, então vou levar língua portuguesa pra dentro do celular que mais cedo ou mais tarde os alunos acabarão me encontrando lá dentro.” Foi assim que iniciei a ideia do canal.

Bem Paraná - O senhor se demitiu recentemente de seu último emprego, não? Por que tomou essa decisão?
Professor Noslen - Sim. A decisão foi devido a quantidade de viagens que tenho feito pelo Brasil todo dando Aulões presenciais. É que, devido ao canal, muitas instituições de ensino me chamam pra dar esses aulões, pois os alunos querem me ver pessoalmente. Muito louco tudo isso, tudo muito surreal. Então para não ter que faltar aulas no presencial decidi ficar nesse meu trabalho on-line com todas as minhas forças!

‘Feliz de saber que estou contribuindo com tanta gente’

Bem Paraná - Antes, chegou a acumular emprego em quantas instituições ao mesmo tempo?
Professor Noslen - Já cheguei dar aulas em sete instituições educacionais diferentes. Tinha aulas todos os dias da semana de segunda a sábado, manhã, tarde e noite. Resumindo, vivia pro trabalho. Hoje tenho dois dias da semana que gravo aulas, manhã e tarde. Quando tenho viagem, acabo viajando na quinta e voltando domingo ou segunda, porém tenho tempo pra família e pros amigos hoje, coisa que não tinha no passado.
Bem Paraná - E como é a rentabilidade em relação ao emprego em escolas e cursinhos?
Professor Noslen - Eu fui largando os presenciais à medida que o on-line supria o financeiro igual ao que eu tinha com 7 instituições. Tudo com muita calma e um passo de cada vez.

Bem Paraná - Qual o perfil daqueles que te acompanham virtualmente e tem noção de quais as localidades que mais concentram seguidores?
Professor Noslen - Hoje tenho estudantes de todas as vertentes, desde ensino fundamental 2 (6º ao 9º ano), ensino médio, concurseiros e até estudantes de graduação de letras, bem como alguns professores que usam o meu material on line em sua aulas. Muito bacana tudo isso! Principais regiões do Brasil que me assistem: São Paulo, Rio de Janeiro, Nordeste, Minas Gerais e Norte do país.

Bem Paraná - Como é também a reação nas ruas de Curitiba e mesmo em outras cidades?
Professor Noslen - É muito bacana quando alguém me aborda no supermercado, shoppings, ou na rua pra me dizer que estuda comigo on-line. Em Curitiba as pessoas são mais comedidas nisso, mas ainda acontece. Já no Nordeste é quase impossível andar em ambiente público sem ser abordado por alguém para tirar foto e receber agradecimentos, o que me deixa extremamente feliz de saber que estou contribuindo para a vida de tanta gente.

Bem Paraná - Quais os planos para o futuro? O senhor já trabalhou na Universidade Tuiuiti, não?
Professor Noslen - A Universidade Tuiuti é minha casa, sou formado por lá e trabalhei como tutor do ambiente virtual deles lá no princípio graças a professora Doutora Marlei Malinowski, que foi minha orientadora e é a coordenadora do Ead da UTP. Gosto muito de falar com graduandos, porém pra voltar ao meio acadêmico preciso de um doutorado na área. Mas quem sabe eu não faça algo voltado aos professores em meu projeto on-line...

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba