Jornalista lança livro 'O Mar é Logo Ali´ com crônicas pandêmicas

- Atualizado às 23:48
Ana Clara registrou o isolamento em Paris
Ana Clara registrou o isolamento em Paris (Foto: Daniela Petrel)

Confinada em um pequeno apartamento em Paris, a jornalista e escritora Ana Clara Garmendia registra o dia a dia imposto pela pandemia da covid 19 em suas redes sociais. Mais do que um simples relato, o diário mostra seu olhar, seus sentimentos e angústias e resulta no livro ‘O Mar é Logo Ali’, lançado planetariamente essa semana em Curitiba. A série de 50 crônicas pandêmicas reúne a escrita de Ana Clara, as ilustrações de Marcia Luz e o projeto gráfico de Simone Salomão. Mesclando a realidade à ficção, a autora transporta o leitor para um universo belo, angustiante e cheio de mistérios, como o mar que ela pensa existir logo atrás de sua janela.
As crônicas nascem orgânicas e retratam momentos reais e imaginados com criatividade e sensibilidade, além de generosa dose de análise crítica. Acompanhada do gato Hermès, protagonista de diversas passagens do livro e presença obrigatória na sua vida, a autora conta histórias cheias de humor e sensibilidade, reveladas inicialmente em tom de desabafo. As situações que se desenrolam ao longo dos dias conduzem a um universo pleno de imaginação, proporcionando os cenários onde nascem personagens que se interligam, como a prostituta Verena, a costureira indiana Olga ou a pequena sereia Raquel que, numa noite pós-confinamento foge de uma vitrine rumo ao Rio Sena e se perde, antes de voltar, deixando para trás sua mana-sereia Alice.
A publicação conquista inúmeros leitores através do estilo testemunhal, livre e visceral de Ana Clara. A narrativa despretensiosa - por vezes sarcástica - e sempre dinâmica atravessa fronteiras e vence as dimensões de tempo e de espaço do confinamento. Ao longo dos textos, as novas regras do convívio social são descritas com uma visão irônica, humor aguçado e de maneira próxima da realidade de cada um.
Ana Clara Garmendia construiu uma diversificada carreira no jornalismo, atuando em jornais e revistas de relevância nacional e internacional. Com o passar do tempo e sempre baseada em suas análises únicas e afiadas surgidas das andanças pelas ruas de Paris ou onde quer que ela vá, Ana deixa de lado o interesse maior pela moda, assunto que ela sempre abordou, para se dedicar às crônicas densas do cotidiano. Questionadora e direta, a autora revela com sensibilidade o passar das horas em um universo repleto de angústias, conflitos e contradições; confrontando as atitudes das pessoas que optaram por seguir as orientações da ciência e da medicina versus as que preferem tocar a vida segundo suas próprias conveniências.
Primeiro livro da editora ou primeira editora de um livro — A trajetória da publicação em papel, com peso, volume, ilustrações, capa, lombada e tantos elementos que parecem pertencer a um sonho de jovem escritor revela também a força da vontade da autora e sua equipe, basicamente composta de mulheres. Surgido em uma realidade pandêmica, o livro percorreu revela um caminho completamente diferente do que se imaginava na literatura pré-covid. Depois de se consagrar nas redes sociais, conquistando milhares de seguidores e agora leitores, Ana Clara criou a editora Garmendia para poder publicar O Mar é Logo Ali, primeiro de uma série infinita.

Serviço
Livro de Crônicas Pandêmicas “ O Mar é logo Ali”
Preço: 35 reais + 15 do envio (Brasil)
Onde comprar: pelo site da Garmendia Editora www.garmendiaeditora.com

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba