Coronavírus mata os primeiros ‘famosos’

- Atualizado às 20:02

O dia de ontem foi de luto no meio artístico e jornalístico dos Estados Unidos. Três importantes nomes morreram ontem, todos vítimas do novo coronavírus. O Brasil também teve uma perda, ocorrida na sexta-feira: o desenhista Daniel Azulay.
Uma das vítimas foi o músico Alan Merrill, autor do clássico ‘I love rock ‘n’ roll’ e que estava com 69 anos. Sua filha, Laura, anunciou sua morte por meio do perfil no Facebook. Merrill estava internado no hospital Mount Sinai, em Nova York (Estados Unidos). Laura afirmou que teve dois minutos para se despedir do pai antes de ser retirada da sala do hospital. “A gente provavelmente não vai conseguir fazer um funeral para velar seu corpo. Eu acabo de perder o grande amor da minha vida e não vou poder abraçar ninguém porque eu fui exposta e preciso de me isolar por duas semanas... sozinha”, escreveu Laura. “Por favor fiquem seguros... Ninguém é imune e isso é muito real”. A música ‘I love rock ‘n’ roll’, escrita por Merrill, foi lançada em 1975, gravada pela banda Arrows, da qual o músico fazia parte. Em 1982, a canção foi regravada por Joan Jett and the Blackhearts e virou um dos clássicos mais famosos da história do rock.


A outra vítima no meio artístico foi o cantor country Joe Diffie, 61 anos. Ele havia sido diagnosticado com coronavírus na sexta-feira (27) e não resistiu às complicações causadas pela doença. Diffie teve uma carreira de sucesso nos anos 1990, quando ganhou um Grammy com a faixa ‘Same Old Train’, com Marty Stuart. Foram mais de 13 discos ao longo da carreira, com 20 músicas emplacando no top 10 das paradas country dos EUA.
A jornalista Maria Mercader, da CBS News, também sucumbiu à doença, em Nova York. Ela tinha 54 anos e estava de licença médica desde a última semana de fevereiro. Ao longo da vida, lutou contra o câncer e doenças relacionadas, numa batalha que durou mais de 20 anos. Os vários tratamentos e cirurgias, no entanto, também a deixaram entre os mais vulneráveis à Covid-19. Ironicamente, Maria Mercader foi uma das jornalistas que ajudou a dar as primeiras notícias sobre coronavírus.
O desenhista, pintor e cartunista Daniel Azulay morreu na sexta-feira (27), aos 72 anos, no Rio de Janeiro. Ele lutava contra a leucemia e contraiu o coronavírus, segundo informações da Clínica São Vicente, na Gávea, zona sul carioca. Ele estava internado há duas semanas.
Cartunista, desenhista e artista plástico, Daniel Azulay era o criador da Turma do Lambe Lambe, muito popular nos anos 80 em programas de TV para públicos infantis. Posteriormente, continuou trabalhando em outros programas e projetos na internet, com trabalhos que ensinavam a importância de conceitos como sustentabilidade e meio ambiente.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba