Conheça o casal curitibano que viajou cinco mil quilômetros com um fusca

- Atualizado às 12:20
Por - Maitê Ritz
O casal posa com Bernard, o fusca.
O casal posa com Bernard, o fusca. (Foto: Vitor Pereira Pacheco)

O casal de namorados Maria Thereza de Souza, 22 anos, e Vitor Pereira Pacheco, 24, viveram sua primeira aventura sobre rodas, a bordo de um Fusca 1983, onde rodaram cinco mil quilômetros. A preparação da viagem em si demandou aproximadamente um ano.

 

Vitor é de Curitiba (PR) e Maria Thereza, de Tubarão (SC), mas vive na capital paranaense há tempos.  A ideia da viagem surgiu após o Vitor ganhar o Fusca de presente do seu padrinho, no dia em que se formou em Direito, em 2017. Foi assim que se deu a largada para a viagem que Vitor sempre sonhou, agora somado a companhia da namorada. 

 

O Fusca ganhou um nome e uma conta no Instagram (@bernard_ofusca). E foi lá que a história da viagem toda foi contada. O roteiro, além do caminho brasileiro e das cidades que precisaram percorrer até chegar a cada destino, incluía  as capitais do Paraguai, Argentina e Uruguai. E quando dava, eles ficavam hospedados em hostels. E pasmem! Em num único dia eles chegaram a percorrer, ininterruptamente, 1.222 quilômetros. 

 

Conversamos com o casal por telefone, e eles nos contaram sobre preparação, experiências , otimismo, perrengues de viagem e ainda deixaram um conselho para quem quiser embarcar em uma aventura dessas.

 

BARULHO: Como foi a decisão de viajar? Como planejaram as cidades, as paradas e a sobrevivência do fusca após tanto chão?

 

MARIA E VITOR: A decisão de viajar se deu um pouco depois de ganharmos o Fusca. Após o início da restauração, descobrimos (pelos indícios que o carro nos dava) que ele havia ficado bastante tempo parado - sem funcionamento -, e assim, havia deixado de contar muitas histórias, já que fusquinhas são recheadas delas. Conciliando com a uma ideia anterior de viajarmos por alguns países da américa do sul, resolvemos que o lugar ideal para o Fusca recuperar o tempo perdido sem escrever histórias era a estrada. 
Decidimos os países que visitaríamos, e colocamos no papel passarmos pelas capitais do Paraguai, da Argentina, e do Uruguai. Nos dois primeiros países, além de passarmos pela capital, paramos em cidades que nos interessamos quando pesquisamos sobre o país em questão. A exceção foi no Uruguai, que decidimos fazer toda a costa, parando em cada uma das cidades.

 

BARULHO: Qual foi o perrengue mais complicado de toda a viagem?

 

MARIA E VITOR: Durante a viagem tivemos pequenos percalços... coisas que fazem parte da vida de qualquer pessoa que decide colocar o pé na estrada (um pneuzinho furado, um probleminha elétrico ali, outra coisinha acolá). Mas das poucas situações problemáticas que passamos, por simples que fossem, muito mais nos engrandeceram do que incomodaram. Aprendemos e adquirimos uma porção de experiência, e isso é o que mais vale!

 

BARULHO: Como foi a experiência de ficar na estrada por tanto tempo?

 

MARIA E VITOR: A experiência de estar na estrada por 22 dias foi uma grande aventura. Nos primeiros dias nos batemos um pouco, ainda mais pelo fato de dirigirmos um carro completamente mecânico em cidades que não estávamos habituados transitar. Quanto a hospedagem, como preferimos por ficar em hoteis e hostels, as adaptações ficaram um pouco mais tranquilas. Por fim, com a aventura de estar visitando novas culturas, desbravando lugares diferentes do nosso cotidiano, tudo fica fácil e leve. É só colocar um sorriso no rosto que todas as portas vão se abrindo.

 

BARULHO: Vocês planejam uma nova viagem nesses termos? Se sim, qual seria?

 

MARIA E VITOR: Quando se tem uma experiência como a nossa, sonhar com lugares novos é o que mais nos ronda. O senso de longe e perto se altera totalmente, nos fazendo acreditar que de Curitiba a Buenos Aires é só um pulinho.Já pensamos em inúmeros próximos destinos, mas nada em concreto. 

 

BARULHO: Se pudessem dar uma dica aos aventureiros que pretendem seguir seu exemplo, qual seria?

 

MARIA E VITOR: Se pudéssemos dar uma dica para os aventureiros seria: muita preparação! O planejamento é essencial para se ter uma experiência gostosa e para dar tempo de aproveitar ao máximo cada destino.

Para ficar ligado nas próximas aventuras desse casal e do Bernard, o fusca, siga eles na página oficial:(www.instagram.com/bernard_ofusca). 
 

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba