Conheça a história de jovens paranaenses que se tornaram modelos internacionais

Por - Maite Ritz
Isa Yasmin e Gabrielly
Isa Yasmin e Gabrielly (Foto: Fórum Model)

Conversamos com a Isabely Yasmin Kichilevcz, de 16 anos e com a Gabrielly Veiga, de 19. As duas são modelos na Forum Model Management, uma das maiores agências de modelos do país, que vem descobrindo no estado perfis de modelos que estão ganhando o mundo nas passarelas e campanhas publicitárias. Respectivamente, Isabely é de Campo Largo e Gabrielly é de Pinhais.

Mesmo com a pouca idade, as paranaenses já desfilaram nas passarelas da Índia, Filipinas, China e pretendem viajar mais.

A modelo Isabely é um caso de superação, pois nasceu com um câncer e com apenas 13 dias de vida fez sua primeira cirurgia, que parecia ter eliminado a doença. Porém, aos 3 anos de vida, a doença voltou de forma maligna e ela passou por mais uma cirurgia de remoção e pela complicada quimioterapia. Após terminar a quimioterapia, Isabely sofreu com meningite e somente aos 11 anos que pode receber alta. Até hoje ela frequenta o hospital para exames de rotina.

“Desde esse tempo, eu queria ser modelo. Os médicos e minha família sempre falavam que eu tinha jeito e me incentivavam a correr atrás dos meus sonhos.” Comenta Isabelly.

NA ÍNDIA
Sobre toda a experiência internacional e sua carreira, Isabelly nos conta do seu choque: “Não imaginava que minha carreira iria tomar proporções internacionais. Achei que seria mais um passatempo, um sonho, que faria umas fotos e outras, mas nunca pensei que chegaria até aqui. Eu fico muito feliz por ter conseguido essa oportunidade. Foi uma experiência única, aprendi muito nesse tempo, foi bem diferente do que já estava acostumada. Fiquei 3 meses trabalhando na Índia a maioria dos trabalhos eram fotos comercias para websites. É muito prazeroso poder trabalhar com o que gosto.”

A Gabrielly Veiga é modelo desde 2017, quando foi descoberta em um Shopping.

“Eu estava andando no shopping com o meu cunhado, enquanto a minha irmã resolvia assuntos pessoais. Uma moça sentou ao nosso lado e me perguntou se eu já havia pensado em ser modelo. Eu já havia pensado nessa carreira quando era criança, mas sempre achei que não teria chances. Ela me entregou um cartão e me disse que alguém da agência iria me ligar para marcar um horário. Depois de contar para a minha irmã e voltar para casa, conversamos com a minha mãe por telefone e juntas decidimos se seria ou não uma boa opção, então eu decidi que queria tentar. E assim tudo começou.”

Gabrielly começou a trabalhar já visando a carreira internacional. Ela nos conta que treinou sem parar e focou em aprender Inglês. “Quando eu escolhi que seguiria essa carreira, já havia colocado em mente o objetivo de ir para fora, viajar e ter a oportunidade de trabalhar e conhecer outros países. Então, para conseguir o meu objetivo tratei de aprender inglês sozinha em casa e a pesquisar mais sobre o mundo da moda, conforme eu alimentava esse sonho, minha força de vontade aumentava e a cada dia eu me via melhorando e treinando mais. “ diz Gabrielly

NA CHINA
No desfile para Shanghai Fashion Week, pude ver pela primeira vez como funcionava um grande evento na China. Lembro-me de quando um maquiador profissional foi fazer a minha maquiagem e milhares de câmeras apontaram para mim. No começo eu me sentia nervosa por estar na presença de modelos que já trabalhavam há anos, mas apenas fiquei calma e trabalhei toda a minha atenção para o desfile que iria ocorrer em algumas horas. Foi uma experiência indescritível.” Ela conta emocionada.

DICAS DAS MENINAS
Para encerrar, perguntamos a elas quais dicas elas dariam para meninas que pensam em trilhar o mesmo caminho no mundo da Moda. Elas nos falaram sobre estudo,dedicação e referencial.

Isabely apontou para a perseverança. “A dica que eu posso dar é nunca desistir. Nada nesta vida é fácil, é preciso ter determinação, se dedicar e principalmente acreditar. Tudo é possível.”

Gabrielly dá dicas de como se preparar. “Estudar inglês é um dos pontos chaves para aquelas que querem ir para o exterior, mas não podemos esquecer que treinar passarela em casa, poses e vídeos, são extremamente importantes. Para praticar poses, eu sempre escolhia referências, como a Coco Rocha e praticava, alternando os estilos. A prática é essencial para aperfeiçoar.”
As duas apontaram que a parte mais difícil de ser modelo internacional é a saudade da família, do país e dos amigos, além do fato de precisar lidar com tudo sozinha sem ninguém do lado para te ajudar com algum conselho. “Pode ser difícil as vezes, mas é sempre bom lembrar que esse é o seu sonho, então vale a pena lutar e seguir em frente, crescendo e abrindo seu espaço no mundo da moda.” Finaliza Gabrielly.

A agência das meninas é a Fórum Model Management, que atua no mercado curitibano desde 2014, desenvolvendo trabalhos para todo país e atendendo demandasinternacionais com um casting eclético.

Atualmente a empresa conta com 120 colaboradores, divididos em mais de 10 departamentos, com o compromisso de descobrir e desenvolver modelos, garantindo um nível excelente na preparação de seus modelos.

O diretor da agência, Guilherme Schneider nos contou sobre a preparação das jovens para a carreira internacional: “Nosso trabalho não é apenas buscar pessoas com perfil para serem modelos, mas oferecer todo o suporte e preparação para que ele tenha sucesso. Percebemos que esses modelos têm esse potencial, por isso investimos neles. Hoje com muita dedicação eles estão começando sua carreira internacional”.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba