Como iniciar um coworking? Confira essas dicas

- Atualizado às 17:41
Por - Redação Barulho Curitiba

A necessidade de controlar os gastos quando se está iniciando um empreendimento fez com que o coworking ganhasse mais espaço no Brasil com diversas iniciativas do tipo e um número crescente de adeptos. Segundos dados do Censo Coworking Brasil 2018 o serviço já pode ser encontrado nos 26 estados brasileiros e Distrito Federal. São 1194 unidades de coworking que juntas atendem aproximadamente 214 mil profissionais de diversas áreas.

Devido esses números, os coworking tornaram-se também uma área com grande potencial de investimento e retorno para os fundadores. A seguir, saiba melhor como funciona, como melhorar o espaço e quais os benefícios da locação de móveis.

Como funciona o coworking?

O coworking é uma prática conhecida também como escritórios compartilhados. O espaço é destinado para atuação de várias empresas e profissionais autônomos mediante um aluguel ou mesmo locação avulsa do espaço.

O local é formado por ilhas de trabalho, mas também deve contar com outros espaços necessários às empresas alocadas, como cozinha, salas de reunião, áreas de recreação, entre outros.

Em geral, as empresas que optam pelo coworking ainda estão começando e prezam pela inovação, como as startups. Dessa forma, os valores desse tipo de negócio também devem ser refletidos no próprio espaço de trabalho.

Essa demanda faz com que os fundadores desses espaços precisem adequar-se a esse cenário e buscar soluções e estratégias para melhorar os ambientes com custos compatíveis.

Como melhorar o espaço do coworking?

Uma empresa ou profissional que busca um coworking têm algumas demandas em mente que precisam ser atendidas pelo espaço de forma que as atividades possam ser centralizadas nesse ambiente.

Por exemplo, uma empresa que tem toda a operação em um espaço, mas precisa alugar salas de reuniões em outro coworking quando atende os clientes logo perceberá que aquele local não atende as necessidades dela e buscará por outro.

O exemplo da sala de reunião é apenas um mais expressivo, mas outras demandas devem ser atendidas. Confira as principais a seguir!

Flexibilidade

A flexibilidade é um aspecto determinante para uma empresa alugar um espaço de trabalho. Por vezes o profissional vai querer iniciar o dia de trabalho às 6 da manhã, em outros casos precisará ficar no escritório até às 22h.

Portanto, o primeiro passo para oferecer um serviço melhor aos frequentadores do local é oferecer flexibilidade, pois não cabe ao coworking determinar o horário de funcionamento das empresas.

A flexibilidade também refere-se à possibilidade de visitas de clientes e parceiros de negócios, entre outras liberdades que os profissionais esperam ter no ambiente de trabalho.

Ambiente criativo

Essa demanda está muito relacionada com o tipo de profissionais que o coworking atrai. Como afirmamos, é bastante comum que esse espaço aloque novas empresas, como startups.

Um grande diferencial desse modelo de negócio é a liberdade criativa dada aos colaboradores, de forma que o trabalho não consiste em ficar 8 horas seguidas na frente do computador.

Dessa forma, o coworking precisa adaptar-se a essa demanda para não se tornar ineficiente às necessidades dos profissionais. Entre as práticas que ajudam a tornar o ambiente mais criativo estão:

● áreas de recreação no coworking, como sala de videogame ou espaço verde com bancos para interação entre profissionais;

● disponibilizar atividades ao ar livre, como alongamento duas vezes por dia com um educador físico;

● ter espaços para descanso, como sofás, poltronas e pufes;

● oferecer espaços com lousas ou quadros nos quais os profissionais possam fazer anotações e deixar as tarefas visíveis;

● ter uma cozinha e um espaço adequado para refeição de forma que os profissionais não precisem sair para almoçar ou tomar um café.

Portanto, são diversos os cuidados que podem ser tomados no escritório compartilhado para torná-lo mais criativo e útil aos novos perfis profissionais.

Qualidade dos móveis

No coworking a maior parte dos frequentadores utiliza o computador para realizar as tarefas de forma que os móveis devem ser pensados para atender essa demanda. A ergonomia em cadeiras e mesas é um aspecto essencial para promover qualidade e bem-estar.

Lembre-se que por ser um espaço aberto, o design e padronização dos móveis são aspectos importantes para um ambiente aconchegante e atraente, no entanto, o conforto deve ser prioridade para sucesso do coworking.

Promova o networking

O networking consiste na construção de redes de contatos profissionais com o objetivo de trocar experiências e informações que permitam fortalecer relações e criar parcerias inovadoras. Em um coworking essa demanda é central.

Muitas das empresas e profissionais que usam esses espaços têm como objetivo conhecer os colegas e criar uma rede de interação e construção tanto pessoal como corporativa. Isso comprova a importância de espaços comuns para trocas e aprendizado.

Como esse espaço pode beneficiar-se da locação de móveis?

Com tantas demandas, os fundadores de coworkings podem pensar que o investimento não vale a pena. No entanto, além da procura crescente por essa solução, destaca-se ainda as soluções de mercado que viabilizam reduzir os custos desse investimento.

Uma delas é a locação de móveis, solução pela qual o coworking pode aumentar ou renovar os móveis sem necessidade de comprá-los. Nesse modelo eles são alugados e podem ser devolvidos ou substituídos conforme ficam ultrapassados ou não sejam mais necessários.

Com a opção também é possível montar todo o coworking usando apenas móveis ergonômicos, demanda central para o conforto dos frequentadores. A locação de móveis para escritório, portanto, proporciona economia e qualidade para esse tipo de empreendimento.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba