Com parceiros de Piazzolla na programação, Oficina homenageia ícone argentino

Com parceiros de Piazzolla na programação, Oficina homenageia ícone argentino. - Na imagem, Daniel Binelli.
Com parceiros de Piazzolla na programação, Oficina homenageia ícone argentino. - Na imagem, Daniel Binelli. (Foto: Divulgação)

No ano do centenário de nascimento de Astor Piazzolla, o compositor e instrumentista que revolucionou o tango será o grande homenageado da 38ª Oficina de Música de Curitiba. Ao inovar o gênero musical sinônimo de Argentina, Piazzolla entrou para o rol dos grandes nomes da música internacional.
A Oficina, que este ano será majoritariamento virtual por conta da pandemia, começa no dia 17/1 (próximo domingo), e terá a participação de músicos que conviveram com o ídolo argentino.
Um deles será o maestro, compositor e bandoneonista Daniel Binelli. Integrante do Sexteto Piazzolla a partir de 1989, o músico tem mais de 50 anos de carreira.
“Com sua estética e sua luz, Piazzolla influenciou e segue influenciando as novas gerações de músicos”, disse Binelli, que começou a ouvir e a ser influenciado musicalmente pelo mestre ainda menino. “Ele é universal e contemporâneo”, destaca.
Binelli se apresenta, direto de Buenos Aires, na abertura do evento em Curitiba, no domingo às 20h. O concerto pode ser acompanhado pelo canal do Youtube da Oficina ou pelo site.
Outro artista que faz parte da programação é o neto do homenageado, Daniel Pipi Piazzolla, baterista da banda Escalandrum. O grupo tem mais de 20 anos de estrada e foi formado sete anos depois da morte do avô de Pipi, desenvolvendo uma carreira mais ligada ao jazz.
Pipi foi considerado por três anos o melhor baterista da Argentina. Ele fará uma performance ao vivo no dia 24/1 (domingo), às 20 horas. A apresentação, de Buenos Aires, também poderá ser acompanhada pelo Youtube e pelo site do evento.
O artista homenageado este ano pela Oficina de Curitiba é um dos mais importantes músicos do cenário internacional.Astor Piazzolla nasceu em Mar del Plata, em março de 1921, e morreu em Buenos Aires, em julho de 1992, aos 71 anos, quando lutava contra as sequelas de um acidente vascular cerebral sofrido dois anos antes.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba