As doze melhores composições de Cazuza e Frejat

- Atualizado às 18:53
Por - Henrique Romanine
Frejat e Cazuza, na época em que ambos integravam o Barão Vermelho.
Frejat e Cazuza, na época em que ambos integravam o Barão Vermelho. (Foto: Divulgação)

No último domingo (07), completaram-se 29 anos da morte de Cazuza. Um dos maiores poetas, não só de sua geração, mas de todos os tempos na música brasileira, merece sempre uma homenagem à sua altura.

Por isso, resolvemos selecionar, nesta nova lista, as melhores composições de Cazuza em parceria com o seu grande amigo Roberto Frejat. Ou, para alguns, os nossos "Jagger/Richards" brasileiros.

Muitas canções ficaram de fora para que estas dez entrassem na lista. Mas o interesse aqui é mostrar aquelas músicas mais marcantes, e que traduzem todo o talento e genialidade dos dois artistas. Boa diversão!

Todo Amor Que Houver Nessa Vida

"E ser artista no nosso convívio

Pelo inferno e céu de todo dia

Pra poesia que a gente nem vive

Transformar o tédio em melodia".

Carente Profissional


"Tudo azul

No céu desbotado

E a alma lavada

Sem ter onde secar

Eu corro

Eu berro

Nem dopante me dopa

A vida me endoida".

Pro Dia Nascer Feliz

"Todo dia a insônia

Me convence que o céu

Faz tudo ficar infinito

E que a solidão

É pretensão de quem fica

Escondido fazendo fita".

Milagres


"As crianças brincam

Com a violência

Nesse cinema sem tela

Que passa na cidade

Que tempo mais vagabundo

Esse agora

Que escolheram pra gente viver".

Não Amo Ninguém


"Se todo alguém que ama

Ama pra ser correspondido

Se todo alguém que eu amo

É como amar a lua inacessível

É que eu não amo ninguém

Não amo ninguém

Eu não amo ninguém, parece incrível

Não amo ninguém

E é só amor que eu respiro".

Eu Queria Ter Uma Bomba


"Solidão a dois de dia

Faz calor, depois faz frio

Você diz "já foi" e eu concordo contigo

Você sai de perto eu penso em homicídio

Mas no fundo eu nem ligo

Você sempre volta com as mesmas notícias

Eu queria ter uma bomba

Um flit paralisante qualquer

Pra poder te negar

Bem no último instante

Meu mundo que você não vê

Meu sonho que você não crê".

Só as Mães São Felizes


"Reparou como os velhos

Vão perdendo a esperança

Com seus bichinhos de estimação e plantas?

Já viveram tudo

E sabem que a vida é bela

Reparou na inocência

Cruel das criancinhas

Com seus comentários desconcertantes?

Adivinham tudo

E sabem que a vida é bela".

Que O Deus Venha


"Se tanto amor dentro de mim

Eu tenho, mas no entanto

Continuo inquieto

É que eu preciso que o Deus venha

Antes que seja tarde demais

Corro perigo

Como toda pessoa que vive

E a única coisa que me espera

É exatamente o inesperado".

Ritual


"Ao mesmo Deus que ensina a prazo

Ao mais esperto e ao mais otário

Que o amor na prática é sempre ao contrário

Que o amor na prática é sempre ao contrário

Ah, pra que chorar

A vida é bela e cruel, despida

Tão desprevenida e exata

Que um dia acaba".

Ideologia


"O meu tesão

Agora é risco de vida

Meu sex and drugs não tem nenhum rock 'n' roll

Eu vou pagar a conta do analista

Pra nunca mais ter que saber quem eu sou

Saber quem eu sou

Pois aquele garoto que ia mudar o mundo

Mudar o mundo

Agora assiste à tudo em cima do muro, em cima do muro".

Blues da Piedade


"Agora eu vou cantar pros miseráveis

Que vagam pelo mundo derrotados

Pra essas sementes mal plantadas

Que já nascem com cara de abortadas

Pras pessoas de alma bem pequena

Remoendo pequenos problemas

Querendo sempre aquilo que não têm

Pra quem vê a luz

Mas não ilumina suas minicertezas

Vive contando dinheiro

E não muda quando é lua cheia

Pra quem não sabe amar

Fica esperando alguém que caiba no seu sonho

Como varizes que vão aumentando

Como insetos em volta da lâmpada".

Malandragem

"Eu só peço a Deus

Um pouco de malandragem

Pois sou criança

E não conheço a verdade

Eu sou poeta e não aprendi a amar

Eu sou poeta e não aprendi a amar".



Comentários

© 2018 Barulho Curitiba