Apesar de cortes de verba, Hospital Veterinário da UFPR mantém atendimento à comunidade

Por - Redação Barulho Curitiba com UFPR
(Foto: Rodrigo Justen/UFPR)

Diariamente, o Hospital Veterinário da UFPR atende animais de pequeno e grande porte da comunidade, de zoológicos e criadouros de Curitiba e Região Metropolitana. O HV também é uma das únicas instituições a região a atender animais silvestres. Esses atendimentos não são gratuitos, visto que trata-se de um hospital escola, e não de um hospital público. É uma diferença que muita gente não entende, mas é o que permite que a instituição realize centenas de procedimentos todos os dias. Sem arrecadação própria, o hospital não teria como se manter.

O Hospital Veterinário (HV) tem duas fontes de renda. Uma delas é o que recebe com os atendimentos ao público, via Fundação da UFPR. Esse valor, entretanto, não é suficiente para manter a unidade. A outra é a verba do Ministério da Educação, utilizada para pagamento de pessoal (em especial os residentes) e material de consumo. O HV será impactada pelos cortes nas verbas determinado pelo MEC, num valor de cerca de R$ 280 mil, o que corresponde a 30% da verba anual.

De acordo com o professor Renato da Silva Souza, diretor do HV, um fórum realizado com outros diretores de hospitais universitários, realizado no mês de maio, orientou os dirigentes a utilizar os recursos disponíveis para compra de materiais de consumo e permanentes via pregão, enquanto houver verba. Assim, ganha-se tempo até que o contingenciamento do MEC comece a prejudicar os atendimentos.

“O HV não é feito para dar lucro. Tem seu foco na formação de alunos de Medicina Veterinária e atendimento da população. Por isso vamos continuar atuando enquanto houver verba. E esperamos que seja mesmo apenas um contingenciamento, não um corte efetivo de valores”, diz o professor. Caso o corte se mantenha, a expectativa é que os efeitos sejam sentidos a partir de setembro ou outubro deste ano. “Vamos ficar sem ter como comprar material de consumo como gaze, esparadrapos, medicamentos e insumos para cirurgias e para diagnóstico por imagem”, explica o professor Renato.

A médica veterinária Renata Cavalcanti Bastos da Rocha está no segundo ano de residência na área de Clínica Médica de Pequenos Animais. Formada pelo Instituto Federal Catarinense, ela é de Joinville (SC). Para ela, “o programa de residência multiprofissional em medicina veterinária da UFPR é mais do que um desafio pessoal e profissional, é uma oportunidade prática de aprendizado e aperfeiçoamento dentro da área que escolhi seguir da medicina veterinária. Tudo isso sob a tutoria de professores que são referência em suas respectivas áreas, orientando e auxiliando na rotina clínica”. Para participar do programa, ela recebe a bolsa do MEC. Ela aponta as vantagens do programa da UFPR: “além de uma grande demanda de atendimentos, que implica numa alta casuística e uma consequente íngreme curva de aprendizado, temos a oportunidade de atender casos de média e alta complexidade, o que contribui diretamente para o crescimento científico do profissional”.

Atualmente, o Hospital Veterinário da UFPR conta com 54 médicos veterinários residentes. São profissionais já formados que estão se especializando em áreas como Odontologia, Oncologia, Oftalmologia, Cardiologia e Dermatologia veterinárias. Eles recebem bolsas do MEC. Além deles, estudantes de graduação acompanham os procedimentos, ganhando assim experiência prática.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba