Apesar da liberação, poucos teatros e cinemas de Curitiba confirmam data de reabertura

- Atualizado às 22:40
Por - Ana Ehlert e Josianne Ritz
A rede Cineplus retornará as exibições em apenas metade da salas e com 50% da capacidade
A rede Cineplus retornará as exibições em apenas metade da salas e com 50% da capacidade (Foto: Franklin de Freitas)

Mesmo com a flexibilização da bandeira amarela que permite a abertura de cinemas e teatros para até 50 pessoas em Curitiba, após sete meses de paralisação, poucos estabelecimentos confirmaram a retomada ainda nesta semana. A maioria ainda não tem um poscionamento sobre quando e como será a reabertura. E há aqueles que já anunciaram que não vão reabrir.

O primeiro espaço de cinema a anunciar a reabertura foi a rede CinePlus, com salas de cinema nos shoppings Água Verde, Jardim das Américas e Xaxim, já a partir desta quinta-feira (15). De acordo com Miltinho Durski, diretor Rede Cineplus, tanto a capacidade dos espaços, quanto o número de sessões estarão reduzidas à metade. Neste primeiro momento serão reabertas apenas metade das salas e com apenas 50% da capacidade total, seguindo o protocolo de segurança de distanciamento social, distribuição de álcool gel e uso obrigatório de máscara. Por conta das determinações da secretaria municipal de Saúde, também estará proibida a entrada na sala com alimentos e bebidas. A rede venderá pipoca, mas apenas para quem quiser levar para consumir em casa.

O ingresso será vendido antecipadamente pelo aplicativo do site www.cineplus.com.br, mas a bilheteria físicas também estará aberta. O preço do ingresso será de R$ 10, para todos. Na terça-feira, o ingresso custará R$ 5, por pessoa. Esses preços são válidos apenas para o mês de outubro. Os filmes em cartaz também podem ser consultados pelo aplicativo no site Cineplus.

As redes Cinemark, que tem salas nos shoppings Barigui e Mueller, e a UCI Cinemas, que opera nos shoppings Palladium e Estação, ainda não informaram quando retomarão as atividades na capital paranaense. As datas devem ser anunciadas ainda nesta semana. Como as duas redes já retomaram as atividades em algumas cidades do País, como São Paulo, uma parte das adaptações já foi feita. A UCI Cinemas do Brasil, por exemplo, já implantou um sistema de purificação do ar condicionado com polarizadores de íons que destroem não apenas o Covid-19, como qualquer outro microrganismo nos dutos de ar condicionado. O sistema, segundo a rede, é usado nas mais modernas UTIs e centros cirúrgicos do mundo, e nunca antes foi usada em cinemas brasileiros. Além disso, os sistemas manterão a renovação máxima de ar exterior, com elementos filtrantes de alta capacidade. No Cinemark, antes de começar cada sessão, as salas serão higienizadas e as poltronas seguirão o distanciamento necessário, respeitando as novas medidas de segurança, validadas pelo hospital Albert Einstein.

Museus - Nenhum museu anunciou ainda a reabertura também, tanto os particulares, quanto os ligados à Fundação Cultural de Curitiba quanto àqueles vinculados à secretaria de Estado de Comunicação e Cultura.

Segundo informações obtidas pelo Bem Paraná, no entanto, revelam que reuniões têm sido feitas pelos dois órgãos para tentar definir um retorno conjunto.

No Teatro Lala Schneider, monólogos para preservar atores
O Teatro Lala Schneider também reabre no próximo fim de semana com o Festival de Monólogos do Lala. O primeiro espetáculo a ser apresentado será ‘O Bêbado’, uma comérdia de Fábio Silvestre.

Os ingressos serão vendidos com atencedência na bilheteria do teatro a R$ 50, inteira, e R$ 25, a meia entrada. Segundo o direitor fundador do espaço, João Luiz Fiani, a escolha por monólogos se deve a preocupação com a saúde dos atores. “Há poucos monólogos prontos, mas os atores também estão sujeitos a contaminação e, por isso, optamor por não colocarmos mais do que um ator em cena”, explicou.

Fiani explica que serão abertas apenas as salas menores e serão vendidos apenas 50 ingressos por apresentação.
Por enquanto as peças que já confirmaram a presença nessa mostra são O Bêbado, de Fábio Silvestre, ‘A tarada do Boqueirão’, com Sônia Bacilla, e Werther, de Goethe, com Lucas Cardoso.


Companhia decide manter apresentações online
Nem todos os espaços teatrais devem voltar, mesmo com a liberação da Prefeitura de Curitiba. O Espaço Ave Lola, por exemplo, decidiu que não vai retornar as apresentações presenciais pelo menos por enquanto e vai manter a programação online.

No próximo sábado (17) às 20h, a Trupe Ave Lola estreia a montagem teatral inédita Lembranças de Bertha dentro da programação online da 3ª MOSTRA MOVE – grupos de teatro. A apresentação será transmitida ao vivo através da plataforma do YouTube do Grupo Obragem de Teatro. O espetáculo é o resultado de um processo colaborativo dos diretores Eduardo Giacomini e Ana Rosa Tezza interpretado pelas atrizes, mãe e filha, Ana Rosa e Helena Tezza. “É maravilhoso trabalhar com um artista tão sensível como o Eduardo Giacomini. Num momento difícil como esse da pandemia, essa troca artística nos fortalece e nos possibilita resistir com a nossa arte e os nossos afetos”, diz Ana Rosa Tezza.

Lembranças de Bertha é uma peça curta escrita pelo dramaturgo norte-americano Tennessee Williams (1911-1983) que revela os últimos momentos de vida da prostituta Bertha, uma jovem que no fim da vida precisa ceder o quarto do bordel onde mora para novas prostitutas devido o seu estado de enfermidade. Na montagem da Trupe Ave Lola, Bertha será interpretada pela atriz Helena Tezza ao lado de Ana Rosa Tezza no papel de Goldie, que interpreta a cafetina do bordel em que Bertha trabalha. “Trabalhar com a Ana Rosa está sendo novamente um grande aprendizado. Dividir a cena com uma parceira de vida e poesia sempre foi um desejo no meu percurso”, explica Helena Tezza.

A transmissão será na plataforma do YouTube do Grupo Obragem de Teatro. A apresentação gratuita.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba