Aliança Francesa traz peças dos britânicos Neil Bartlett e Mike Bartlett

IN EXTREMIS - Comédia dramática escrita pelo inglês Neil Barlett
IN EXTREMIS - Comédia dramática escrita pelo inglês Neil Barlett (Foto: Divulgação)

Após sucesso na temporada de repertório on-line do Grupo Tapa, o Teatro Aliança Francesa mantém a programação teatral com temporada virtual de dois espetáculos com dramaturgia inglesa. ‘In Extremis’, de Neil Bartlet, faz sessões de 23 de fevereiro a 10 de março, terças e quartas, às 19h; e ‘Bull’, de Mike Bartlett, vai de 26 de fevereiro a 13 de março, sextas e sábados às 19h. Ambas serão transmitidas pela plataforma ZOOM, com retirada gratuita dos ingressos pelo Sympla da produtora Contorno Produções.

‘In Extremis’ é uma comédia dramática inspirada em um encontro de Oscar Wilde com uma famosa cartomante, e conta com direção de Bruno Guida e elenco formado por Daniel Infantini e Flávio Tolezani. Bull, de Mike Bartlett, investiga a pressão psicológica no mundo corporativo. A direção é de Eduardo Muniz e Flávio Tolezani, que também está em cena ao lado de Bruno Guida, Cynthia Falabella e Fernando Nitsch

IN EXTREMIS

Comédia dramática escrita pelo inglês Neil Barlett, com direção de Bruno Guida tem Daniel Infantini e Flávio Tolezani no elenco. A trama é inspirada em um evento na vida de Oscar Wilde (1854-1900), que consultou uma famosa cartomante chamada Mrs. Robinson. De acordo com um telegrama enviado para uma amiga em 1895, o encontro ocorreu uma semana antes do julgamento que custaria reputação, liberdade, família e vida do escritor irlandês.
O dramaturgo escreve essa peça com trechos transcritos da obra de Wilde aliados à sua escrita assertiva e ágil. “Nunca saberemos o que de fato aconteceu naquela noite. Mas a história é muito boa para ser ignorada”, comenta Bruno Guida. In Extremis teve sua estreia mundial no National Theatre, o teatro mais importante da Inglaterra, no ano de 2000.
Depois de criarem juntos o espetáculo The Pillowman – O Homem Travesseiro, Bruno Guida, Daniel Infantini e Flávio Tolezani repetiram o formato e se dividiram na equipe criativa para continuar a pesquisa sobre a linguagem de bufão iniciada no espetáculo anterior. Bruno traduziu o texto, idealizou o projeto e dirigiu a montagem, Daniel além de atuar, assina o figurino e a maquiagem. E Flávio, além de ator, também é o cenógrafo da peça.
A encenação busca uma atmosfera mística a fim de trazer a plateia para o jogo de adivinhação e mistério que faz parte da encenação de uma consulta exotérica. Os três artistas fizeram oficina com o hipnólogo Fábio Puentes para entender o caminho apontado por um especialista contemporâneo na ciência da hipnose.
Ficha técnica:
Texto: Neil Bartlett. Tradução: Bruno Guida. Direção: Bruno Guida. Elenco: Daniel Infantini e Flavio Tolezani. Assistente de direção: Mateus Monteiro. Treinamento em Hipnose: Fabio Puentes. Iluminação: Aline Santini. Cenário: Flavio Tolezani. Figurinos: Daniel Infantini. Adereços: Marcela Donato. Maquiagem: Daniel Infantini. Produção Executiva: Leticia Gonzalez. Operação de Luz: Marcel Rodrigues. Assessoria de Imprensa: Adriana Balsanelli e Renato Fernandes. Fotografia: Hemerson Celtic. Identidade Gráfica: Anna Turra. Design Gráfico: Lucas Sancho. Idealização: Bruno Guida. Produção: Pitaco Produções e Contorno Produções. Produção Executiva: Leticia Gonzalez. Direção de produção: Jessica Rodrigues e Victória Martinez.
Serviço
Temporada: de 23 de fevereiro a 10 de março. Terças e quartas às 19h00. Gratuito.
Ingressos e Transmissão: https://www.sympla.com.br/contornoproducoes
Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 14 anos


Carla Trevizani

BULL

O espetáculo coloca em cena três colegas de trabalho. Um deles deverá ser demitido. A situação, bastante comum no meio corporativo, serve de pano de fundo para a exploração dos labirintos do psicológico. A direção é de Eduardo Muniz e Flávio Tolezani, que também faz parte do elenco ao lado de Bruno Guida, Cynthia Falabella e Fernando Nitsch.
A dramaturgia de Mike Bartlett investiga um tema recorrente no mundo corporativo de hoje, o bullying e a pressão psicológica no ambiente de trabalho, levantando questionamentos sobre os limites entre a ambição descontrolada e a busca irrefreável pelo sucesso.
Cenograficamente, a montagem opta pelo minimalismo. Com um cenário composto apenas de aparadores empresariais e dress code corporativo, a força da ação fica por conta dos conflitos das cenas e gestos dos atores. A concepção do espetáculo partiu de Eduardo Muniz que, estudando o teatro inglês há nove anos, deparou-se em Manhattan com o espetáculo Cock, do mesmo autor. Cativado pelo texto cru e psicológico, o traduziu para o português e encontrou o espetáculo Bull, que decidiu encenar no Brasil.
Com um tom ácido e tragicômico, a montagem de fácil autoidentificação aproxima-se de um hiperrealismo que beira o absurdo, construindo gradativamente um ambiente de violência e opressão que, acima de tudo, não julga seus personagens e busca apenas revelar os meandros de todo ser humano.
*Foi indicada ao prêmio Aplauso 2014 de melhor espetáculo. Foi eleita pela Revista Veja como uma das 10 melhores peças em cartaz. Eleito pelo Guia da Folha de São Paulo como um dos melhores espetáculos em cartaz
Ficha técnica:
Texto: Mike Bartlett. Tradução: Eduardo Muniz. Concepção e Direção: Eduardo Muniz e Flávio Tolezani. Elenco: Bruno Guida, Cynthia Falabella, Fernando Nitsch e Flavio Tolezani. Assistente de Direção: Mateus Monteiro. Iluminação: Aline Santini. Figurino: Fernanda Kenan. Cenário: Flávio Tolezani. Produção Executiva: Leticia Gonzalez. Operação de Luz: Gabriele Souza. Assessoria de Imprensa: Adriana Balsanelli e Renato Fernandes. Designer Gráfico: Lucas Sancho. Fotos: Carla Trevisani. Produção: Bem Casado Produções e Contorno Produções. Direção de Produção: Jessica Rodrigues e Victória Martinez.
Serviço:
Temporada: de 26 de fevereiro a 13 de março. Sextas e Sábados às 19h. Gratuito.
Ingressos e Transmissão: https://www.sympla.com.br/contornoproducoes
Duração: 55 minutos. Classificação: 14 anos
Este projeto foi contemplado pelo edital Proac expresso lei Aldir Blanc nº 36/2020 “produção e temporada de espetáculo de teatro com apresentação online”.

Comentários

© 2018 Barulho Curitiba